Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Oficial de Justiça

Bem-vindo/a ao DIÁRIO DIGITAL DOS OFICIAIS DE JUSTIÇA DE PORTUGAL publicação periódica independente com 8 anos de publicações diárias especialmente dirigidas aos Oficiais de Justiça



oficialdejustica.blogs.sapo.pt
DIÁRIO DIGITAL DOS OFICIAIS DE JUSTIÇA DE PORTUGAL (DD-OJ)
As publicações desta página podem ser encontradas diariamente em diversas plataformas:
oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt

...............................................................................................................................

Quinta-feira, 27.04.17

O estado da Justiça em Arouca

      Em Arouca, a comunidade local vem demonstrando preocupação com o estado do serviço da justiça que ali é prestado, depois da denúncia do representante local da Ordem dos Advogados.

      Num encontro recente da delegação da Ordem dos Advogados e de representantes do Município, o advogado Carlos Tavares Ferreira explicava que o “tribunal” “voltou a ter competência para julgar as matérias de Família e Menores”, acrescentando que, em Arouca, o Ministério Público “tem apenas uma Funcionária”, que “enfrenta problemas de saúde” limitadores do seu desempenho. No ano passado houve mesmo necessidade de fazer deslocar, durante dois dias por semana, Oficiais de Justiça de outra localidade, para ajuda pontual.

TJ-Arouca-MP-Atendimento.jpg

      Acrescentou ainda que a “secção de processos” (judicial) conta com “apenas” três Funcionários, um dos quais trabalhador-estudante.

      Refere que a falta de meios humanos pode condicionar as pretensões de fazer regressar a Arouca os processos de violência doméstica.

ProcessosAmontoados2-RTP.jpg

      Para além da falta de recursos humanos, refere-se ainda que, para agravar a situação, o edifício precisa de obras de manutenção, que não estão a ser feitas e que degradam o espaço físico e o cabal cumprimento dos serviços de justiça.

      Todos os espaços se mostram degradados, as infiltrações estão generalizadas, sendo visível a falta de manutenção em todo o edifício que assim se degrada, dia após dia.

      Para o presidente da Comarca de Aveiro, “aquilo que é mais premente é a falta de Funcionários”.

      A recuperação da valência da Família e Menores “não foi acompanhada dos meios materiais e humanos necessários”, verificando-se que a única Oficial de Justiça colocada nos serviços do Ministério Público começa a ter muitas dificuldades em acompanhar as instâncias de Família e Menores e criminal.

      Para o presidente da Comarca de Aveiro, no entanto, pese embora todas as carências e o estado a que se chegou, ainda assim, afirma que “não há nada que tenha sido colocado em causa, não há nada que tenha sido deixado de fazer por haver essas carências; não; mas claro, se tivéssemos aquilo que nós gostaríamos de ter; ninguém consegue ter aquilo que tem [queria dizer “que quer”].

      Este tipo de discurso de que nada deixou de ser feito e que ninguém tem aquilo que quer ou que julga necessário, já o ouvimos antes da boca da própria ministra da Justiça, quando disse que “Provavelmente nós nunca teremos o número de funcionários que desejaríamos ou que cada uma das partes acharia ideal para o que quer que seja”, tal como aqui já mencionamos mais do que uma vez.

      É a desistência da própria ministra; é a desistência do presidente da comarca; isto é, todos desistem dos Oficiais de Justiça e da possibilidade de ter, pelo menos, os meios humanos necessários a um cabal desempenho; todos desistem menos os próprios Oficiais de Justiça, numa atitude que se poderá confundir com um certo gosto masoquista.

      Os problemas verificados em Arouca são comuns a todo o país, onde o défice de Oficiais de Justiça se verifica e se verifica também como é tal défice o responsável pelo emperramento da máquina judicial que só anda o que pode e não o que deve.

      Os cidadãos deste país não merecem uma justiça terceiro-mundista, os cidadãos deste país têm em si próprios um grande sentimento de Justiça e sempre apelam a este sentimento em qualquer causa do seu quotidiano. Seja na justiça do lance futebolístico, seja na justiça social, seja na justiça para com os seus vizinhos ou na justiça da preservação da sua identidade histórica, os portugueses veem a necessidade de haver justiça em tudo e em todos e em todos os dias e não só às vezes. Os cidadãos deste país fizeram uma Revolução há 43 anos por questões de justiça, de justiça geral e global. É, pois, inadmissível que estes cidadãos que vivem e respiram justiça, sejam assim maltratados e desleixados pelo poder político que sistematicamente não alcança a necessidade de ter pessoas suficientes para cumprir os pacotes legislativos impostos desde Lisboa.

      É fácil determinar que a valência de Família e Menores, por exemplo, deve regressar ou abandonar determinados locais, sem mais, apenas determinando que assim seja, sem cuidar das necessidades reais de tais decisões. É fácil decidir, desenhar e redesenhar desde as secretárias de Lisboa, deixando depois ao país real, desprovido de meios, a responsabilidade de respeitar as decisões centrais.

      Os Oficiais de Justiça, tal como o presidente da Comarca refere, sempre se esforçaram, mesmo não detendo o número necessário de elementos, para que os processos, que são as vidas das pessoas, não saiam prejudicados pelas decisões centrais e, por isso mesmo, o mencionado presidente da Comarca pode referir que “não há nada que tenha sido colocado em causa, não há nada que tenha sido deixado de fazer por haver essas carências”. Claro que o pode dizer, porque, apesar de tudo, os homens e as mulheres Oficiais de Justiça deste país, por estarem na primeira linha de contacto com os problemas reais do dia-a-dia das pessoas, não deixam a justiça cair no abismo em que já poderia ter caído. Está quase mas aguentam-na mais uma e mais outra vez, sem reconhecimento algum e até sujeitos a ouvir coisas como “nunca será possível termos tudo o que necessitamos” ou algo do género. É uma infâmia.

ProcessosAmontoados3-RTP.jpg

      Apesar de tudo, Carlos Tavares Ferreira mostrou-se agradado pelo interesse manifestado pelo grupo socialista local e já anteriormente a vice-presidente da Câmara o tinha feito, sendo que a autarca está a encetar contactos com o Governo central, para procurar dar resposta a estas necessidades de Arouca. “Inteiraram-se da situação. Foi uma reunião muito produtiva”, declarou Ferreira.

      Face às carências denunciadas pelo advogado, a estrutura concelhia do Partido Socialista emitiu um comunicado e referiu que iria expor a situação denunciada ao Grupo Parlamentar do PS.

      Posteriormente, já esta semana, na segunda-feira, a RTP passou a breve reportagem que pode ver seguindo a hiperligação: “RTP”.

TJ-Arouca.jpg

      O conteúdo deste artigo é de produção própria e não corresponde a uma reprodução de qualquer outro artigo, no entanto, alguma da informação para a elaboração do mesmo, e aqui pontual e parcialmente reproduzida e/ou adaptada, foi obtida nas seguintes fontes (com hiperligações contidas): “Discurso Directo” e “RTP”.

por: GF
oficialdejustica.blogs.sapo.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 08:07


BandeiraPT oficialdejustica.blogs.sapo.pt
.................................................. INICIATIVAS COMPLEMENTARES:
..................................................
PERMUTAS para Oficiais de Justiça (Lista de Permutas)
Veja os pedidos existentes e envie os seus para o e-mail dedicado:
PermutasOJ@sapo.pt
Consulte a lista aqui

saiba+aqui
..................................................
Legislação e Publicações Relevantes - Lista com seleção diária de legislação e outras publicações relevantes em Diário da República e noutras fontes.
Consulte a lista aqui
saiba+aqui
..................................................
MEDIDAS e Sugestões de Proteção Prática para Oficiais de Justiça
Veja a compilação de sugestões recebidas até ao momento e envie o seu contributo para o e-mail:
OJ@sapo.pt
Consulte a lista aqui

..................................................
Lista de Alojamentos
Anúncios de Procura e de Oferta de alojamentos para Oficiais de Justiça. Contacte pelo e-mail dedicado:
ProcuraAlojamento@sapo.pt
Consulte a lista aqui

saiba+aqui
..................................................
Grupo WhatsApp para Oficiais de Justiça
A comunicação direta de, para e com todos.
Saiba+Aqui

..................................................
Lista de Anúncios para Partilha de Carro
Boleias e partilhas de lugares nos carros, sejam diárias, aos fins-de-semana, para férias ou ocasionais, anuncie a disponibilidade e contacte pelo e-mail dedicado:
PartilhaDeCarro@sapo.pt
Consulte a lista aqui

saiba+aqui
..................................................
Estatuto dos Oficiais de Justiça EOJ - Para assuntos relacionados com o Estatuto em apreciação use o e-mail dedicado:
Estatuto-EOJ@sapo.pt

veja+aqui
..................................................
Histórias de Oficiais de Justiça (Compilação)
Envie histórias, peripécias, sustos, etc. para o e-mail dedicado:
HistoriasDeOficiaisDeJustica@sapo.pt

saiba+aqui

..................................................
Acordos & Descontos para Todos - Lista de descontos para Oficiais de Justiça oferecidos por empresas privadas.
Consulte a lista aqui
saiba+aqui

..................................................

..................................................
Endereço Geral da página - Para assuntos diversos, use o endereço de e-mail geral:
OJ@Sapo.Pt

..................................................
Veja por aqui + informação sobre o Perfil / Autoria da página
+
Veja também por aqui o Estatuto Editorial e a Direção desta publicação
..................................................
Dúvidas sobre a Justiça?
Ligue para a Linha Justiça
(MJ) (chamada gratuita):
800 910 220
(das 9h às 19h nos dias úteis)
saiba+aqui e veja também o portal da Justiça em justiça.gov.pt
..................................................
Linha de Emergência Social:
Apoio da Segurança Social e do Ministério da Justiça:
144 (Linha Gratuita 24 h)
saiba+aqui
Linha da Segurança Social:
300 502 502 (das 09h às 18h)
..................................................
Outras Linhas de Apoio:
808 24 24 24 - SNS 24 / Saúde 24
(custo de chamada local)
800 209 899 - SOS Voz Amiga
(das 16h às 24h) (gratuita)
808 237 327 - Conversa Amiga
(das 15h às 22h) (gratuita)
239 484 020 - SOS Estudante
(das 20h à 1h)
222 080 707 - Telf. Esperança
(das 20h às 23h)
800 990 100 - SOS Pessoa Idosa
(das 10h às 17h) (gratuita)
..................................................

Meteorologia

Porto
Lisboa
Faro

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Abril 2017

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D

Para Contactar:

Para mensagens breves pode usar a caixa de mensagens abaixo (mensagens instantâneas) ou usar o endereço geral de e-mail: oj@sapo.pt para mensagens maiores, com imagens ou anexos ou se quiser uma resposta.

Mensagens Instantâneas

Na caixa de mensagens abaixo pode enviar qualquer tipo de mensagem de forma simples e rápida. Basta escrever, carregar no botão "Enviar" e já está. Estas mensagens são anónimas, não são públicas nem são publicadas. Como as mensagens são anónimas se quiser resposta indique o seu e-mail.

Mensagens

Comentários

Pode comentar cada artigo e responder a comentários já existentes. Os comentários podem ser anónimos ou identificados e o conteúdo não é previamente (mas posteriormente) verificado.
Para comentar os artigos selecione "Comentar".
Os comentários são públicos. Para mensagens privadas use a caixa de mensagens ou o e-mail.
Os comentários ou respostas colocados pela administração da página surgem identificados como "oficialdejustica" e clicando no nome acede ao perfil da página. Não se identifique com nomes e de forma igual ou parecida com a referida designação.
Os comentários e as críticas não devem atingir pessoas mas apenas ideias. A discussão deve ser saudável, construtiva e digna. Serão eliminados os comentários que se julguem inadequados.

Comentários recentes

  • oficialdejustica

    Os leitores em geral e os Oficiais de Justiça em p...

  • Anónimo

    Boa Noite,Talvez seja....Mas... De que têm medo os...

  • Anónimo

    Estatutos da Policia Judiciaria":Artigo 75.º:Suple...

  • Anónimo

    Em complemento à resposta anterior, já agora leia ...

  • Anónimo

    Colega está equivocado em relação a esta matéria.L...

  • Anónimo

    Não percebo como se sentem ofendidos por se consid...

  • Anónimo

    Um sindicato "unipessoal" que elegeu democraticame...

  • Anónimo

    2/2 - Mas, à posteriori, opina-se “ acreditamos, c...

  • Anónimo

    “Oficial de Justiça”, desde já se agradece a exten...

  • Anónimo

    Tanto bla bla bla para coisa pouca!Somos carreira ...

  • Jota Man

    Sim há várias, mas há algumas que são fundamentais...

  • Anónimo

    https://soj.pt/soj-segue-agenda-propria/"Considera...

  • Jota Man

    Bem parece que quem não percebe, pelo menos portug...

  • oficialdejustica

    Continuação 2/2 ...Quanto à alegada menção a "algu...

  • oficialdejustica

    Muito obrigado pela participação e pelo contributo...

  • Anónimo

    É esta uma das especificidades da profissão que a ...

  • Anónimo

    Se fosse só esta norma inconstitucional, era!!!! O...

  • Jota Man

    Concordo, mas se for ler os projetos de estatutos ...

  • Anónimo

    Para quando uma acção que permita reconhecer a inc...

  • Jota Man

    O meu comentário, é algo simples, ninguém dedica u...

  • Anónimo

    O "Oficial de Justiça" por muitas reconhecidas vir...

  • Anónimo

    Maquiavél era, nos dias de hoje um santo, comparad...

  • Anónimo

    Ingenuidade e falta de estratégia, a serem, que si...

  • Anónimo

    fica porque quer DHAAA.......escreve o Escrivão ad...

  • Anónimo

    O que me admira é o SFJ não ter ainda impugnado o ...




oficialdejustica.blogs.sapo.pt

Ligações

Ligações de INTERESSE:

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  •  
  • Ligações a LEGISLAÇÃO

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  • Em alguns casos, pode não ver todo o documento mas só a primeira página. Baixe o documento para o ver e ficar com ele na totalidade.

  •  
  • _______________________

  •  
  • Ligações a DOCUMENTOS

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  •  
  • Ligações dos TRIBUNAIS

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  •  
  • POR e PARA Oficiais de Justiça

  •  
  •  
  • ________________________


    Onde encontrar o Ofici@l de Justiç@?

    Os artigos aqui publicados são distribuídos por e-mail a quem os subscrever e são ainda publicados no Facebook, no Twitter, no "Blogs Portugal", no "Reddit" e no WhatsApp, ou seja, em 7 plataformas diferentes:

    1- Sapo (oficialdejustica)

    2- Facebook (OficiaisJustiçaPortugal)

    3- Twitter (OfJustica)

    4- Blogs Portugal

    5- Reddit (OficialJustica)

    6- WhatsApp

    7- Assinantes por "e-mail"





    Para além das outras possibilidades de comunicação, se pretender comunicar por e-mail, use o endereço abaixo indicado:

    OJ@SAPO.PT

    .......................................................................................................................