Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Oficial de Justiça

Esta página é uma iniciativa informativa DIÁRIA especialmente vocacionada para Oficiais de Justiça. De forma independente da administração da justiça e dos sindicatos, aqui se disponibiliza a informação relevante com um novo artigo todos os dias.



oficialdejustica.blogs.sapo.pt
As publicações desta página podem ser encontradas diariamente em diversas plataformas:
oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt


Segunda-feira, 27.05.19

A Inacreditável Comunicação do SOJ

      Antes de mais, uma breve nota sobre as eleições de ontem. Ou seja, a coisa, mais ou menos, é assim: em cada 10 portugueses, 3 votam e 7 estão a marimbar-se para isto. E o que é isto? É a nossa vida; a vida de todos nós.

      Os candidatos são maus, as políticas e as ideias são más mas havia 17 entidades políticas concorrentes e possíveis de escolha com muitas tendências possíveis, portanto, passíveis de serem escolhidos, de entre os maus ou os menos maus.

      Os portugueses, maioritariamente, acabam de demonstrar que não têm interesse na defesa da Democracia, que acreditam que as conquistas democráticas estão garantidas e que não correm risco nenhum em perder na sua vida, no seu dia-a-dia, aquilo que tão custosamente e durante tantos anos se conquistou, mesmo à custa de sangue, suor e lágrimas.

      Sete em cada dez portugueses acabam de desrespeitar a magnífica história deste país, erguendo perguntas assim: Foi para isto que Salgueiro Maia corajosamente lutou para pôr fim àquele ignóbil regime?

      Este grande desinteresse, a par da ascensão dos partidos fascistas por toda a Europa, desilude-nos profundamente, tanto mais que notamos que este desinteresse não ocorre apenas nestas eleições mas, infelizmente, também noutros muitos aspetos, como, por exemplo, na defesa dos trabalhadores, seja nas ações encetadas pelos sindicatos, seja no respaldo dessas mesmas ações.

      Ao mesmo tempo entristece-nos assistir ao interesse crescente pelas atividades futebolísticas, que desencadeiam o maior interesse, discussão e profundas análises críticas, a par de um aumento de seitas religiosas e interesses em imagens nas redes sociais, afinal, tudo na área da ilusão e, parafraseando K. Marx, o alargado e cada vez maior ópio do povo que o vem entorpecendo e embrutecendo.

      Com gente assim desfalecida, o facto do Sindicato dos Oficiais de Justiça (SOJ) ter vindo este fim-de-semana apresentar uma informação na qual relata o sucedido na reunião havida para a fixação de serviços mínimos por acordo na greve que aquele Sindicato marcou, não deve incomodar ninguém ou, pelo menos, a grande maioria dos Oficiais de Justiça. Serão também apenas 3 interessados em cada 10? Talvez!

10=(7+3).jpg

      Tal como já divulgamos este fim-de-semana no nosso grupo do WhatsApp, o SOJ apresentou um aviso prévio de greve e, de imediato, foi convocado para mais uma reunião a fim de serem fixados serviços mínimos para mais esta greve que, como todas as que este sindicato vem promovendo, são sempre atacadas de serviços mínimos ao contrário de outras, de outras entidades, aparentemente isentas de tais restrições e assim beneficiárias de privilégios únicos que parece lhes estarem reservados.

      Diz o SOJ:

      «Foi ainda referido, nessa reunião, que a adesão à greve decretada pelo SOJ será nula, até porque, de outra forma, ela iria causar perturbação dos serviços.

      Ora, fica a convicção que, no entendimento da tutela, os Oficiais de Justiça só devem fazer as greves que não causem perturbação dos serviços. Quando se perspetiva que isso possa ocorrer, sabemos por experiência passada, procura garantir que a mesma não tenha adesão. Esta “visão”, que a tutela tem da classe dos Oficiais de Justiça, é grave e revela as razões pelas quais a carreira não avança… na verdade, há entre nós quem cumpre a estratégia da tutela.

      Relativamente a esta questão, que aliás consta da ata que será publicada por este Sindicato, importa afirmar, publicamente, que o SOJ não pede, nem aguarda, autorização do Ministério da Justiça para exercer a democracia. As greves, em todos os setores, nomeadamente uma greve que se pretende cirúrgica, como a que foi apresentada, nos termos legais, pelo SOJ, causam perturbação nos serviços.

      Ora, fica a clara convicção, para a DGAJ as greves têm forte adesão quando não causam perturbação dos serviços. Aquelas em que se perspetiva que possam causar perturbação, talvez até por não serem previamente acertadas com a DGAJ, terão fraca adesão.»

      Não vamos comentar este extrato da comunicação do SOJ que aqui reproduzimos mas aconselhamos vivamente os leitores a lê-lo de novo, para que confirmem e tenham a certeza de tudo aquilo que leram, uma vez que lido assim só uma vez fica a sensação de se estar a ler algo do mundo da ficção; algo que poderá não ter acontecido e que terá sido apenas um mero sonho, ou melhor: um pesadelo do Carlos Almeida.

      Este dirigente sindical quando comunica publicamente isto, das duas uma, ou está completamente dopado ou então o que diz é uma verdade profundamente confrangedora e que, embora possa não perturbar a maioria dos Oficiais de Justiça, cidadãos deste país que podem estar incluídos na mesma proporção dos 7 em cada dez que se estão borrifando para isto, pelo menos deve preocupar os outros 3 em cada 10 que, neste momento, já depois de terem lido uma segunda vez aquele extrato, acabam de vomitar, tal a náusea de que foram possuídos.

      O SOJ ainda não explicou como será a greve mas daquilo que já lemos na comunicação social e aqui há dias reproduzimos e do que consta nesta comunicação (greve cirúrgica), parece-nos que esta greve poderá ser uma greve parcial para realizar diariamente durante algum pequeno período do dia, cirurgicamente provocando a tal perturbação que, como greve que é, tal se espera que provoque porque se trata disso mesmo: de uma greve e não de um inócuo carro estacionado no Terreiro do Paço.

SOJ.jpg

      Mas a comunicação do SOJ relata-nos ainda algo mais perturbador. Trata-se da queixa que este Sindicato realizou na Organização Internacional do Trabalho (OIT/ONU) sobre o trabalho obrigatório não remunerado, que oportunamente divulgou e aqui também divulgamos, queixa esta a que o Governo acaba de se esquivar de forma perturbadora. Diz o Governo que já não tem que responder à OIT porque este assunto está a ser dirimido em tribunal, portanto, em vez de se resolver a curto prazo, fica adiado para daqui a dez anos quando houver uma decisão do tribunal administrativo.

      Mas quem é que pôs esta ação em tribunal que tanto jeito deu ao Governo? Não se sabe; o SOJ diz que lhe disseram que foi “uma outra entidade assumindo responsabilidades”.

      Diz assim o SOJ na mesma informação:

      «Ora, ontem, no âmbito da reunião para promoção de acordo na sequência do Aviso Prévio apresentado pelo SOJ, fomos informados, pela DGAJ, que uma outra entidade, “assumindo responsabilidades, considerou e bem” – tudo isto no entendimento da tutela –, que o espaço próprio para se apreciar a questão seria o Tribunal de Circulo Administrativo de Lisboa, onde interpôs uma ação, dela constando a matéria apresentada pelo SOJ, junto da OIT.

      Assim, considera o Governo, respaldado por essa ação – não foi identificada, nem sabemos quem é(são) o(s) autor(es) –, que a matéria não deve ser objeto de apreciação por nenhuma outra entidade, pois está pendente, nas “instâncias próprias”.

      Dito de outra forma e com mais clareza: O Governo sentiu-se “pressionado” com a queixa apresentada pelo SOJ, junto da OIT, até pelas consequências que isso para si acarreta, e encontrou – no seu entendimento –, solução para que a matéria não seja apreciada nesta, nem nas próximas legislaturas.

      Por outro lado, considera também que a matéria não deve ser objeto de negociação, pois há que aguardar por uma decisão transitada em julgado.»

      Ora, isto deveria fazer saltar das cadeiras os 7 em cada 10 que se estão a borrifar para isto tudo, no entanto, como não devem ter percebido muito bem o que aqui está em causa, mais uma vez se apela a uma releitura atenta para se compreender a verdadeira dimensão do assunto que, também mais uma vez dizemos, das duas uma, ou o presidente do SOJ estava completamente dopado quando escreveu aquilo ou então estamos perante mais uma verdade nua e crua profundamente confrangedora.

      Ou seja, o que o SOJ nos veio relatar é que numa única reunião se estrangulou a carreira dos Oficiais de Justiça em dois aspetos: a tentativa de anulação da greve e o fim das negociações sobre o trabalho obrigatório não remunerado que poderia pesar nas negociações sobre o regime de aposentação, relegando este assunto para quando a ação administrativa for decidida, certamente dentro de alguns anos, sem dúvida que não ocorrerá nesta legislatura nem sequer na próxima.

      E o SOJ conclui a sua informação de que aqui fomos reproduzindo alguns extratos, da seguinte forma:

      «Concluindo: Os Oficiais de Justiça passam a saber que há uma ação em tribunal que, no entender do Governo, impede a abertura de processo negocial para discutir uma compensação pelo trabalho que não é remunerado nem compensado e que a greve agora convocada, pelo SOJ, terá fraca adesão pois de outra forma iria perturbar os serviços, o que não é aceite pela tutela.

      É contra esta forma, pouco digna, como somos tratados, enquanto Classe Profissional, que o SOJ luta e continuará a lutar, incomodando os muitos poderes instalados, dentro dos tribunais.

      Os Oficiais de Justiça têm o dever de responder, de forma firme, perante toda esta falta de respeito, para com a carreira, aderindo a todas as formas de luta que cumpram a democracia. A greve é um direito constitucional, que cumpre e realiza a democracia.»

      Pode aceder a esta inacreditável comunicação do SOJ, lendo-a na sua integralidade, através da seguinte hiperligação: “Info-SOJ-24MAI2019”.

CaraEspanto.jpg

por: GF
oficialdejustica.blogs.sapo.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 08:07


7 comentários

De Anónimo a 27.05.2019 às 12:31


Estou curioso quanto à legitimidade de quem propôs tal acção.
É nítida a má-fé da administração. Um problema que se arrasta desde 2006 é agora alvo de uma acção só porque foi apresentada queixa na OIT. A acção visa apenas empurrar a solução para as calendas.
Será que colhe junto da OIT a interpretação de que a propositura da acção após a formalização da queixa obsta à apreciação da mesma pela entidade internacional?
Não entendo como é que a entrada da acção impede a negociação até decisão transitada em julgado. Muito pelo contrário, nas acções pendentes o Tribunal tenta a conciliação das partes até ao início da audiência de julgamento...
Perante esta postura os dois sindicatos do sector deviam unir-se na procura de soluções que poderiam passar, nomeadamente, por uma providência cautelar visando a suspensão do n.º 1 do art.º 65.º do EFJ até decisão transitada em julgado da referida acção em que não se conhece, ainda, o autor.
A não ser assim o trabalho escravo continuará por mais uma década...

De Durval Lopes a 27.05.2019 às 13:39

deve ter sido o SFJ

De Anónimo a 27.05.2019 às 22:08

Estamos cada vez mais lixados, por um lado é o governo que perdeu todo e qualquer respeito e consideração pelos Oficiais de Justiça/Funcionários Públicos, e por outro lado é a ingenuidade ou mesmo BURRICE!!! de certos responsáveis sindicais, que só servem para "atrapalhar" quaisquer hipóteses que ainda tínhamos, para conquistar qualquer coisa que fosse...

Quem nos salvará!!!...

De donzilia santos a 29.05.2019 às 14:35

Sinto vergonha pela abstenção nestas eleições!Diz muito da falta de cidadania de quem prefere praia, futebol e esquece o direito e o dever que tem de votar e que foi conquistado por quem nos antecedeu.Cada um dos abstencionistas na sua maioria deve pensar: votar nāo dá dinheiro a ninguém e nem vou perder tempo! Sociedade consumista, com valores a desaparecer é o que temos.Porque tínhamos escolhas, houve informação e veja-se que a melhor campanha sobre a Europa (era o que estava em causa), foi "premiada"pelos eleitores.
Terá que ser pensado instituir multas para quem não cumprir o seu dever.
De resto, tudo o que foi escrito pelo blogger sobre eleições, subscrevo inteiramente.
O POVO DORME.........?.................

De Anónimo a 31.05.2019 às 09:49

“Simultaneamente, aproveita o SOJ e também o seu órgão oficioso – oficialdejustica.blogs.sapo.pt – para fazer, mais uma vez, uns inaceitáveis e injustos ataques ao maior e mais representativo sindicato da classe (SFJ), os quais repudiamos porque são falsos!”

In:
site do ” maior e mais representativo sindicato da classe” que devia saber que o tamanho não importa o que importa é o que se consegue fazer com o tamanho que se tem.

De oficialdejustica a 31.05.2019 às 11:44

Essa afirmação do "órgão oficioso" será abordado no artigo de amanhã.

De Anónimo a 04.06.2019 às 10:52


“Antes de mais, esclarece-se que nunca houve qualquer negociação específica sobre esta questão com o SFJ.”*

No Entanto:

“Importa também recordar que, em reuniões havidas no Ministério da Justiça (e na qual, além do SFJ, estiveram presentes representantes de outro sindicato), a SEAJ afirmou que o Ministério da Justiça estava a estudar uma “solução” que permitisse que em sede “da integração do suplemento de recuperação processual, não houvesse uma diminuição do montante mensal auferido pelos oficiais de justiça...”! “*

Por estas e por outras ambiguidades é que o descrédito de todos é TOTAL!

“Ou seja, o Governo tem “dois pesos e duas medidas” para situações iguais, consoante o “peso” institucional da classe profissional.”*

Com tanto tamanho e tanta representatividade é de admirar que afinal sejam apenas pesos-pluma…

*Comunicado disponível no sítio… do costume

Comentar Artigo



BandeiraPT oficialdejustica.blogs.sapo.pt .................................................. < ÚLTIMAS INICIATIVAS >
..................................................
Legislação e Publicações Relevantes - Lista com seleção diária de legislação e outras publicações relevantes em Diário da República e noutras fontes.
Consulte a lista aqui
saiba+aqui

..................................................
Lista de Alojamentos
Anúncios de Procura e de Oferta de alojamentos para Oficiais de Justiça. Contacte pelo e-mail dedicado:
ProcuraAlojamento@sapo.pt
Consulte a lista aqui

saiba+aqui
.................................................. Grupo WhatsApp para Oficiais de Justiça
A comunicação direta de, para e com todos. Saiba+Aqui

.................................................. Lista de Anúncios para Partilha de Carro
Boleias e partilhas de lugares nos carros, sejam diárias, aos fins-de-semana, para férias ou ocasionais, anuncie a disponibilidade e contacte pelo e-mail dedicado:
PartilhaDeCarro@sapo.pt
Consulte a lista aqui

saiba+aqui
.................................................. PERMUTAS para Oficiais de Justiça (Lista de Permutas)
Veja os pedidos existentes e envie os seus para o e-mail dedicado:
PermutasOJ@sapo.pt
Consulte a lista aqui

saiba+aqui
.................................................. Histórias de Oficiais de Justiça (Compilação)
Envie histórias, peripécias, sustos, etc. para o e-mail dedicado:
HistoriasDeOficiaisDeJustica@sapo.pt

saiba+aqui

..................................................
Estatuto dos Oficiais de Justiça EOJ - Para assuntos relacionados com o Estatuto em apreciação use o e-mail dedicado:
Estatuto-EOJ@sapo.pt

veja+aqui
..................................................
Endereço Geral da página - Para assuntos diversos, use o endereço de e-mail geral:
OJ@Sapo.Pt

..................................................
Veja por aqui + informação sobre o Perfil / Autoria da página
..................................................
Dúvidas sobre a Justiça?
Ligue para a Linha Justiça
(MJ) (chamada gratuita):
800 910 220
(das 9h às 19h nos dias úteis)
saiba+aqui e veja também o portal da Justiça em justiça.gov.pt
..................................................
Linha de Emergência Social:
Apoio da Segurança Social e do Ministério da Justiça:
144 (Linha Gratuita 24 h)
saiba+aqui
Linha da Segurança Social:
300 502 502 (das 09h às 18h)
..................................................
Outras Linhas de Apoio:
800 209 899 - SOS Voz Amiga
(das 16h às 24h) (gratuita)
808 237 327 - Conversa Amiga
(das 15h às 22h) (gratuita)
239 484 020 - SOS Estudante
(das 20h à 1h)
222 080 707 - Telf. Esperança
(das 20h às 23h)
800 990 100 - SOS Pessoa Idosa
(das 10h às 17h) (gratuita)
..................................................

Meteorologia

Porto
Lisboa
Faro

Pesquisar

Pesquisar no Blog  


Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Para Contactar:

Para mensagens breves pode usar a caixa de mensagens abaixo (mensagens instantâneas) ou usar o endereço geral de e-mail: oj@sapo.pt para mensagens maiores, com imagens ou anexos ou se quiser uma resposta.

Mensagens Instantâneas

Na caixa de mensagens abaixo pode enviar qualquer tipo de mensagem de forma simples e rápida. Basta escrever, carregar no botão "Enviar" e já está. Estas mensagens são anónimas, não são públicas nem são publicadas. Como as mensagens são anónimas se quiser resposta indique o seu e-mail.

Mensagens

Subscrever para receber e-mail

Pode receber no seu e-mail cada artigo aqui publicado, para isso basta indicar o seu e-mail e depois ir lá confirmar a subscrição na mensagem que lhe será enviada. Simples, automático e recebendo cada artigo logo que publicado. .................................................

Escreva abaixo o seu endereço de e-mail:

Não esqueça ir depois ao seu e-mail confirmar a subscrição (se ocorrer avaria comunique).


Comentários

Pode comentar cada artigo e responder a comentários já existentes. Os comentários podem ser anónimos ou identificados e o conteúdo não é previamente (mas posteriormente) verificado.
Para comentar os artigos selecione "Comentar".
Os comentários são públicos. Para mensagens privadas use a caixa de mensagens ou o e-mail.
Os comentários ou respostas colocados pela administração da página surgem identificados como "oficialdejustica" e clicando no nome acede ao perfil da página. Não se identifique com nomes e de forma igual ou parecida com a referida designação.
Os comentários e as críticas não devem atingir pessoas mas apenas ideias. A discussão deve ser saudável, construtiva e digna. Serão eliminados os comentários que se julguem inadequados.

Comentários recentes

  • OJX – eStad Virtual

    Carreiras EspeciaisRevisão e criação – continuaç...

  • Anónimo

    Para os OJ não puderam nada, muito pelo contrário!

  • Anónimo

    "A Senhora Ministra e a sua equipa fizeram o que p...

  • Anónimo

    Acho que a Senhora Ministra e a sua equipa fizere...

  • Anónimo

    Pena não haver uma ministra ou secretária de estad...

  • Anónimo

    E não fica por aqui!O mais preocupante é o que con...

  • Anónimo

    O colega, caso seja oficial de justiça e não mero ...

  • Anónimo

    O pior é que essa acção, nos últimos anos, foi a ú...

  • Anónimo

    O SOJ?Andam no seu tachinho, repararam que a única...

  • Anónimo

    Onde anda o SOJ?

  • Anónimo

    Peço desculpa o que queria dizer era na parte do "...

  • Anónimo

    Bom dia, obrigada pela resposta. Não sou ingressan...

  • oficialdejustica

    Não é relevante (o IRS) no sentido de que é revers...

  • Anónimo

    Não é relevante! Não é rele...

  • Anónimo

    Aí OIT OIT!

  • oficialdejustica

    A questão do IRS não é relevante, pois é acertado ...

  • Anónimo

    Trata-se de engenharia financeira por causa do déf...

  • oficialdejustica

    Resposta ao comentário anónimo de 16-09-2019 às 20...

  • Anónimo

    INDIGNAÇÃOPonham termo ao que se passa aqui.Mandem...

  • Anónimo

    Mais alguém aconteceu o mesmo? é normal?

  • Anónimo

    Boa noite, ao concorrer às ilhas tentei colocar "s...

  • Anónimo

    Quem ingressou no movimento extraordinário de 2017...

  • Anónimo

    Tem explicação determinada pessoa, no movimento or...

  • Anónimo

    https://www.educare.pt/noticias/noticia/ver/?id=13...

  • Anónimo

    Respondido! Obrigada! Ainda que fique por esclarec...




oficialdejustica.blogs.sapo.pt

Ligações

Ligações de INTERESSE:

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  •  
  • Ligações a LEGISLAÇÃO

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  • Em alguns casos, pode não ver todo o documento mas só a primeira página. Baixe o documento para o ver e ficar com ele na totalidade.

  •  
  • _______________________

  •  
  • Ligações a DOCUMENTOS

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  •  
  • Ligações dos TRIBUNAIS

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  •  
  • POR e PARA Oficiais de Justiça

  •  
  •  
  • ________________________


    Onde encontrar o Ofici@l de Justiç@?

    Os artigos aqui publicados são distribuídos por e-mail a quem os subscrever e são ainda publicados no Facebook, no Twitter, no "Blogs Portugal", no "Reddit" e no WhatsApp, ou seja, em 7 plataformas diferentes:

    1- Sapo (oficialdejustica)

    2- Facebook (OficiaisJustiçaPortugal)

    3- Twitter (OfJustica)

    4- Blogs Portugal

    5- Reddit (OficialJustica)

    6- WhatsApp

    7- Assinantes por "e-mail"






    Para além das outras possibilidades de comunicação, se pretender comunicar por e-mail, use o endereço abaixo indicado:

    OJ@SAPO.PT

    .......................................................................................................................