Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Oficial de Justiça

Bem-vindo/a ao DIÁRIO DIGITAL DOS OFICIAIS DE JUSTIÇA DE PORTUGAL publicação periódica independente com 8 anos de publicações diárias especialmente dirigidas aos Oficiais de Justiça



oficialdejustica.blogs.sapo.pt
DIÁRIO DIGITAL DOS OFICIAIS DE JUSTIÇA DE PORTUGAL (DD-OJ)
As publicações desta página podem ser encontradas diariamente em diversas plataformas:
oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt

...............................................................................................................................
| | | - COVID-19
[1] - Compilação de Sugestões de Medidas de Proteção Práticas para Oficiais de Justiça
[2] - Consulte aqui os dados oficiais diários atualizados da DGS e infografias
[3] - Consulte também aqui, em primeira mão, as notícias que a agência Lusa fornece para a comunicação social, entretanto com acesso gratuito

...............................................................................................................................

Terça-feira, 24.11.20

A Polémica Eventual Recondução dos Administradores Judiciários

      No passado dia 17NOV, publicou o SOJ uma informação sindical sobre os Administradores Judiciários e, no dia seguinte, a 18NOV, publicou o SFJ outra informação sindical também sobre o mesmo assunto.

      Sobre este assunto, da eventual recondução dos mesmos Administradores Judiciários nos mesmos lugares, já aqui publicamos mais do que um artigo abordando esta questão, designadamente, em 07OUT e em 04NOV mas a seguir voltamos ao assunto em face das duas referidas mais recentes informações sindicais.

      Diz assim o Sindicato dos Oficiais de Justiça (SOJ):

      «O SOJ reuniu-se, dia 19 de outubro, com a DGAJ. A reunião teve por objeto a “negociação” do “regulamento” publicado, unilateralmente, pela DGAJ, no dia anterior a uma deliberação do CSM, em que foi reconhecida razão ao SOJ, relativamente à renovação das comissões de serviço dos administradores judiciários.

      Em síntese, o “processo negocial” assentava no seguinte: o SOJ dava parecer favorável a todo o regulamento, “esquecendo” as vicissitudes que tem apontado, relativamente a esse processo, e a DGAJ “deixaria cair” a norma da preferência aos atuais administradores judiciários.

      Ora, importa que se entenda o seguinte: o SOJ considera sempre como positivo qualquer processo negocial, efetuado de boa-fé – princípio obrigatório em qualquer processo negocial –, mas é, igualmente, importante avaliar a forma e a substância de tais processos.

      Relativamente à forma, o SOJ nunca participou desse “regulamento” e só após a deliberação do CSM foi convocado para assumir um compromisso relativamente ao mesmo. Mais, e para que conste, relativamente aos Administradores Judiciários, o único compromisso que havia, ainda que informal, entre a DGAJ e o SOJ, ia no sentido de ser emitida uma circular, dando orientações aos Administradores Judiciários para que fossem observados os requisitos que constam do estatuto – para as promoções –, nas nomeações de regime de substituição.

      De facto, entre o SOJ e a DGAJ houve contactos e houve aceitação, ainda que informal, por parte da DGAJ, para se avançar nesse sentido. Contudo, abruptamente, essa matéria deixou de constar como preocupação e surge o “regulamento”, promovendo as condições para que fique tudo na mesma, garantindo-se assim, o “establishment” judiciário. Reiteramos: não contem com o SOJ para delapidar os direitos dos Oficiais de Justiça!

      Quanto à matéria, o SOJ não dá parecer positivo a simulacros ou processos de intenções dúbios, pois que a retirada do fator preferência não passa disso mesmo, um simulacro ou engano.

      Considera ainda o SOJ que o processo de candidaturas não passa de mais uma farsa, das muitas a que têm sido sujeitos os Oficiais de Justiça, para que os poderes instituídos e os compadrios se mantenham. Uma vez mais, reafirmamos a nossa independência e rejeitamos participar de “fraudes”!

      Aliás, não será por acaso que as regras constantes do mencionado “regulamento” não colhem junto dos magistrados judiciais ou do ministério Público. Se os princípios que persegue tal “regulamento” fossem tão bons, por que razão os magistrados não o aplicam dentro da sua carreira?

      Assim, o SOJ solicitou à DGAJ, dia 12/11/2020, esclarecimentos sobre este processo para que depois de analisados os elementos, pelo nosso Gabinete Jurídico, possa ser, eventualmente, apreciada a matéria pelas entidades competentes.»

      Por sua vez, o Sindicato dos Funcionários Judiciais (SFJ), disse o seguinte:

      «O Sindicato dos Funcionários Judiciais, defendeu intransigentemente que o exercício da função de Administrador Judiciário teria de ser efetuado apenas por Oficiais de Justiça.

      Nas longas e duras “batalhas” negociais (2013/2014) conseguimos que o cargo de Administrador Judiciário viesse a ser exercido, como sempre defendemos, apenas por Oficiais de Justiça. Esta é mais uma vitória do SFJ.

      Existiram algumas tentativas por parte de alguns juízes presidentes de, por via da renovação da comissão de serviço, manterem/perpetuarem os Srs. Administradores Judiciários por mais 3 anos, sendo que no total estes viriam a exercer o cargo por nove anos, ou mais, quem sabe, ao arrepio da Lei (art.º 105.º da LOSJ e 21.º do Regulamento).

      O Sindicato dos Funcionários de Justiça, visando apenas e só a defesa da legalidade, nomeadamente no que concerne ao conceito de defesa dos direitos e interesses legalmente protegidos, impugnou administrativamente, junto do Conselho Superior da Magistratura, as renovações por mais três anos (exerceriam o cargo por nove anos) relativamente a quatro Administradores Judiciários.

      Obtivemos provimento em todos os casos impugnados, tendo os referidos despachos sido anulados (Processos nº.s 2020/OU/0003; 2020/OU/0004; 2020/OU/0005 e 2020/OU/0013), pelo Conselho Permanente do Conselho Superior da Magistratura.

      Para melhor análise aqui ficam alguns excertos das decisões proferidas:

      “Por todo o exposto conclui-se que os citados artigos 105º da LOSJ e artigo 21º, nº. 1, do seu Regulamento têm de ser interpretados como só ser admissível uma renovação da comissão de serviço dos administradores judiciários”.

      Noutro extrato lê-se:

      “Portanto, a regra para a renovação da comissão de serviço dos juízes presidentes é que a mesma ocorra apenas por uma vez, o que é reforçado pelo disposto no artigo 63º, nº. 1, do EMJ, que apenas permite uma ulterior renovação em caso de relevante interesse público, norma esta que não vemos refletida em qualquer disposição aplicável aos Administradores Judiciários. Pelo exposto, temos que concluir que os mencionados artigos 105º da LOSJ e 21º, nº. 1, do RLOSJ têm que ser interpretados no sentido de ser apenas admissível uma renovação da comissão de serviço dos Administradores Judiciários, o que determina a invalidade dos despachos melhor descritos nos factos 3 e 6, proferidos pelo Senhor Juiz...”

      Quanto a esta matéria (Administradores Judiciários) a nossa posição é firme e intransigente. Apenas nos move a legalidade e a defesa dos Oficiais de Justiça.»

Repeticao.jpg

      Fontes: “SOJ-Info-17NOV2020” e “SFJ-Info-18NOV2020”.

por: GF
oficialdejustica.blogs.sapo.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 08:04


18 comentários

De Anónimo a 24.11.2020 às 08:52

Nao sou contrainteressado no concurso mas o relevante interesse publico numa 2a renovacao das comissões de serviço é demais evidente. É preciso ter em atenção que no momento das primeiras nomeações,encontravam-se em funções pouco mais de 50 secretários de justiça, e é preciso dar tempo para que os novos ganhem a experiência e o tempo de serviço necessários para concorrerem ao cargo.
Sem pôr em causa o brio profissional dos restantes candidatos, o exercício de funções de AJ deve preferencialmente ser exercido por quem acumula experiência de gestao de recursos humanos, de contratos, familiarização com a orgânica e funcionamento da DGAJ, IGFEJ, e outros organismos.
Querer ultrapassar estes pressupostos, apenas por interesses corporativos, ou para mostrar serviço, é totalmente irresponsavel e pode pôr em causa o regular funcionamento dos serviços de justiça prestados ao cidadão.

De Anónimo a 24.11.2020 às 08:56

Ou seja perpetuavam-se ad eternum.
Dura Lex Sed Lex

De Anónimo a 24.11.2020 às 10:51

Não sabia que agora podia haver reinados na administração pública...
Por essa ordem de razão nunca haveria mudança de cargos dirigentes, uma vez que os que lá estão são sempre mais experientes do que aqueles que virão.
Toda esta novela parece digna de outros regimes e não de um estado de direito democrático, mas enfim... hoje em dia já começo a esperar tudo!
Mas quando se aprova regulamentos à pressa e à medida do que se quer fazer só para tentar tapar os olhos às pessoas e com a complacência dos sindicatos, o que mais se pode esperar!

De Anónimo a 24.11.2020 às 13:21

era só seguir a jurisprudência governativa mais recente e usar o mesmo critério usado na PGR e no Tribunal de Contas...

De Anónimo a 24.11.2020 às 14:10

Só me ocorre uma palavra para qualificar o argumento "anedótico", deixando expresso que também não sou contrainteressado no dito assunto.

De Anónimo a 25.11.2020 às 20:59

Anedóticos sao treinadoresde bancada que tudo dizem e nada sabem.
É nao é?

De Anónimo a 24.11.2020 às 15:44

Pergunto-me que experiência teriam no cargo os primeiros administradores nomeados?... Resposta: zero.
E no entanto não desempenharam o cargo durante estes anos todos? Se calhar em alguns casos não o desempenharam bem, é certo, mas isso são outras histórias....
Porque razão não o hão-de poder desempenhar outras pessoas agora, mesmo que também não tenham experiência?
Já agora os sindicatos em vez de virem com tanto comunicado se calhar seria mais produtivo avançarem com providências cautelares para impedir o avanço destes malabarismos.

De Anónimo a 24.11.2020 às 18:11

ops...lembro-me deste tipo de "argumentário" há relativamente pouco tempo e relativamente a uma determinada categoria. Haja seriedade de uma vez por todas e, os administradores que sintam que tiveram um bom desempenho, voltem a sua categoria e usufruam do seu trabalho. Os outros talvez sintam na pele o que é ser secretário nos dias de hoje...

De Anónimo a 24.11.2020 às 18:17

É difícil beber do próprio veneno.

Mas não foram os atuais Administradores que nomearam os amigos (Secretários e Esc. Direito) em regime de substituição, sendo que a maioria não tinha nenhuma experiência.

De Anónimo a 24.11.2020 às 18:34

Infelizmente, nada surpreende do que aqui é referido, basta ter estado um bocadinho atento.
Neste processo apenas o C.S.M. esteve bem. Em 2014 todos sabiam das condições.
As manobras da DGAJ são habituais para satisfazer os DUCANOS. Aliás o que se passou com o curso dos Secretários de Justiça é exemplo disso.
Se a competência é assim tanta dos atuais Administradores deixei nos ser Secretários de Justiça, pois o que a DGAJ precisa é de bons executores, ou será que apenas são bons feitores.

Será engraçado vê-los trabalhar como atualmente exigem.

De Anónimo a 24.11.2020 às 21:47

Mas o sfj tambem reuniu ou não? Todos temos o direito de saber se aceitou este regulamento ou não, pois recusar só a preferência parece pouco.

De Anónimo a 24.11.2020 às 22:16

O lamentável é ver colegas contra colegas.

Mais experientes, menos experientes, melhores e piores, mais líder menos líder!...

O mesmo já sucedeu com o curso para Secretários de Justiça, licenciados, não licenciados, o tempo todo para uns e apenas o tempo na categoria para outros, mesmo que licenciados!

O que devíamos estar a exigir era, de uma vez por todas, a clarificação e dignificação da carreira, com uma revisão de estatutos, com regras bem claras.

O que devíamos estar a exigir era o cumprimento da atual Lei do Orçamento de Estado!

O que devíamos estar a exigir, para sermos solidários para com os colegas no inicio de carreira era um aumento de vencimento e as promoções a Adjuntos do prometido movimento extraordinário.

O regime diferenciado da aposentação e a integração do suplemento no vencimento deixaram de ser prioritários?!...

A estratégia deste Ministério é dividir para Reinar e num reino existem príncipes e servos!

Se querem deixar de ser servos deixem-se de gladiar uns com contra os outros.

Quem, reiteradamente, tem desrespeitado a classe dos Oficiais de Justiça, é este Ministério da Justiça, e é este que tem o dever e poder de alterar esta anarquia.

Será que as normas estatutárias da carreira dos Oficiais de Justiça se transformaram no documento mais difícil e complexo que alguma vez este governo teve em mãos.

Se não conseguem, recorram à contratação pública de um dos escritórios de advocacia de referência!








De Anónimo a 24.11.2020 às 22:28

Este é o melhor discurso para nada ser feito...

De Anónimo a 24.11.2020 às 22:50

Colega o convite a contratação pública foi endereçado ao governo!

A nós, resta-nos unir e partir para uma luta "dura e longa"!

De Anónimo a 24.11.2020 às 22:48

O seu 3º parágrafo desde logo o denuncia! Um dos grandes problemas desta classe tem sido os atropelos ao Estatuto e as interpretações "à la carte". Se para os juízes só há uma renovação por que razão terá de ser diferente para os administradores??!! Em que posição ficam os colegas que se candidataram ao curso e as suas legítimas expectativas?? Isto sim, é lamentável!

De Anónimo a 24.11.2020 às 23:33

Não sou contrainteressado nem ao curso de secretarios nem ao de administradores.

No parágrafo que refere apenas procurei aglutinar as motivações e os pontos de discórdia de uns e de outros.

As expectativas de todos os candidatos são legítimas e as regras têm que ser claras e transparentes para que não restem dúvidas.

Mas o problema reside no facto de as regras parecerem claras mas não o serem!

Veja-se a decisão do Tribunal relativamente ao último curso de Secretarios que acabou no Tribunal Constitucional?!...

Veja-se o primeiro curso de Administradores no qual não foi fixado qualquer prazo de validade.

Quando concorreram também lhes criaram a expetativa de poderem sempre se candidatar a qualquer concurso uma vez que o seu curso não tinham um prazo de validade.

A legislação em vigor apenas permite uma renovação da comissão de serviço mas não proibe a sua candidatura.

E são estas as questões que dividem os atuais e futuros candidatos que importa clarificar, de forma transparente num novo estatuto da carreira.

Essa tarefa cabe à Senhora Ministra da Justiça e é isso que devemos exigir a bem da classe!






O que

O

De Anónimo a 25.11.2020 às 02:25

Conversa da treta, própria de membro do governo. Os atuais administradores sabiam bem que não poderiam ver renovadas as comissões de serviço, nem estamos perante nenhum concurso. Em todas as comissões de serviço as pessoas mantém a formação, mas concluído o prazo têm de sair. Aqui o que aconteceu é simples de perceber e não passa de uma completa ilegalidade. Um técnico superior, em comissão de serviço, mantém a licenciatura, mas nao pode continuar para lá do prazo estabelecido. Regras são regras...

De Anónimo a 25.11.2020 às 12:48

Não quer divisões na classe? Não quer ver Oficiais de Justiça uns contra os outros? Acho muito bem e concordo plenamente!
Mas então os atuais administradores que tomem uma posição de defesa da classe profissional e que rejeitem as nomeações para novas comissões, em vez de serem subservientes e compactuarem com a tentativa do Ministério da Justiça em dividir-nos segundo palavras do colega. Mas isso já não dá jeitinho nenhum pois não?!...

Comentar Artigo



BandeiraPT oficialdejustica.blogs.sapo.pt
.................................................. INICIATIVAS COMPLEMENTARES:
..................................................
MEDIDAS e Sugestões de Proteção Prática para Oficiais de Justiça
Veja a compilação de sugestões recebidas até ao momento e envie o seu contributo para o e-mail:
OJ@sapo.pt
Consulte a lista aqui

..................................................
PERMUTAS para Oficiais de Justiça (Lista de Permutas)
Veja os pedidos existentes e envie os seus para o e-mail dedicado:
PermutasOJ@sapo.pt
Consulte a lista aqui

saiba+aqui
..................................................
Legislação e Publicações Relevantes - Lista com seleção diária de legislação e outras publicações relevantes em Diário da República e noutras fontes.
Consulte a lista aqui
saiba+aqui

..................................................
Lista de Alojamentos
Anúncios de Procura e de Oferta de alojamentos para Oficiais de Justiça. Contacte pelo e-mail dedicado:
ProcuraAlojamento@sapo.pt
Consulte a lista aqui

saiba+aqui
..................................................
Grupo WhatsApp para Oficiais de Justiça
A comunicação direta de, para e com todos. Saiba+Aqui

..................................................
Lista de Anúncios para Partilha de Carro
Boleias e partilhas de lugares nos carros, sejam diárias, aos fins-de-semana, para férias ou ocasionais, anuncie a disponibilidade e contacte pelo e-mail dedicado:
PartilhaDeCarro@sapo.pt
Consulte a lista aqui

saiba+aqui
..................................................
Estatuto dos Oficiais de Justiça EOJ - Para assuntos relacionados com o Estatuto em apreciação use o e-mail dedicado:
Estatuto-EOJ@sapo.pt

veja+aqui
..................................................
Histórias de Oficiais de Justiça (Compilação)
Envie histórias, peripécias, sustos, etc. para o e-mail dedicado:
HistoriasDeOficiaisDeJustica@sapo.pt

saiba+aqui

..................................................
Acordos & Descontos para Todos - Lista de descontos para Oficiais de Justiça oferecidos por empresas privadas.
Consulte a lista aqui
saiba+aqui

..................................................

..................................................
Endereço Geral da página - Para assuntos diversos, use o endereço de e-mail geral:
OJ@Sapo.Pt

..................................................
Veja por aqui + informação sobre o Perfil / Autoria da página
+
Veja também por aqui o Estatuto Editorial e a Direção desta publicação
..................................................
Dúvidas sobre a Justiça?
Ligue para a Linha Justiça
(MJ) (chamada gratuita):
800 910 220
(das 9h às 19h nos dias úteis)
saiba+aqui e veja também o portal da Justiça em justiça.gov.pt
..................................................
Linha de Emergência Social:
Apoio da Segurança Social e do Ministério da Justiça:
144 (Linha Gratuita 24 h)
saiba+aqui
Linha da Segurança Social:
300 502 502 (das 09h às 18h)
..................................................
Outras Linhas de Apoio:
808 24 24 24 - SNS 24 / Saúde 24
(custo de chamada local)
800 209 899 - SOS Voz Amiga
(das 16h às 24h) (gratuita)
808 237 327 - Conversa Amiga
(das 15h às 22h) (gratuita)
239 484 020 - SOS Estudante
(das 20h à 1h)
222 080 707 - Telf. Esperança
(das 20h às 23h)
800 990 100 - SOS Pessoa Idosa
(das 10h às 17h) (gratuita)
..................................................

Meteorologia

Porto
Lisboa
Faro

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Novembro 2020

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D

Para Contactar:

Para mensagens breves pode usar a caixa de mensagens abaixo (mensagens instantâneas) ou usar o endereço geral de e-mail: oj@sapo.pt para mensagens maiores, com imagens ou anexos ou se quiser uma resposta.

Mensagens Instantâneas

Na caixa de mensagens abaixo pode enviar qualquer tipo de mensagem de forma simples e rápida. Basta escrever, carregar no botão "Enviar" e já está. Estas mensagens são anónimas, não são públicas nem são publicadas. Como as mensagens são anónimas se quiser resposta indique o seu e-mail.

Mensagens

Subscrever para receber e-mail

Pode receber no seu e-mail cada artigo aqui publicado, para isso basta indicar o seu e-mail e depois ir lá confirmar a subscrição na mensagem que lhe será enviada. Simples, automático e recebendo cada artigo logo que publicado. .................................................

Escreva abaixo o seu endereço de e-mail:

Não esqueça ir depois ao seu e-mail confirmar a subscrição (se ocorrer avaria comunique).


Comentários

Pode comentar cada artigo e responder a comentários já existentes. Os comentários podem ser anónimos ou identificados e o conteúdo não é previamente (mas posteriormente) verificado.
Para comentar os artigos selecione "Comentar".
Os comentários são públicos. Para mensagens privadas use a caixa de mensagens ou o e-mail.
Os comentários ou respostas colocados pela administração da página surgem identificados como "oficialdejustica" e clicando no nome acede ao perfil da página. Não se identifique com nomes e de forma igual ou parecida com a referida designação.
Os comentários e as críticas não devem atingir pessoas mas apenas ideias. A discussão deve ser saudável, construtiva e digna. Serão eliminados os comentários que se julguem inadequados.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Recordo-me do facto de a luta sindical ter tido a ...

  • Anónimo

    Um sindicalismo a reboque!...A reboque da última g...

  • Anónimo

    DEPUTADO ÚNICOAssembleia da República - Palácio de...

  • Anónimo

    Parabéns ao SOJ por mais esta iniciativa.O sindica...

  • Anónimo

    Informação Sindical do SFJ de 27.01.2021(...) E o ...

  • Anónimo

    Uns "outdoors" seriam apreciados.Curtos e grossos.

  • Jota Man

    Não leste bem, falei em compensação de horas de de...

  • Anónimo

    Completamente de acordo. Quanto ao outro Sindicato...

  • Anónimo

    Jota Man, e por que não manter com uma compensação...

  • Jota Man

    APENAS UMA QUESTÃO DE FUNDO.Queremos a compensação...

  • Anónimo

    Grande SOJ.Se pelo diálogo nada conseguimos, então...

  • Anónimo

    Discriminacao/vicissitudes! 20-01-2020 - País ao M...

  • Anónimo

    Os servos foram desconsiderado e relegados para úl...

  • Anónimo

    https://rr.sapo.pt/2021/01/25/pais/justica-pre-anu...

  • Anónimo

    Imparcialidade é o que se quer!

  • Anónimo

    Colega, com os meus cumprimentos,no seu serviço ex...

  • Anónimo

    Está na altura dos representantes sindicais formul...

  • Anónimo

    Pior mesmo só os gladiadores de futebol que são ob...

  • Anónimo

    Nos termos da alínea d) do n.º 1 do artigo 197.º d...

  • Anónimo

    Os Oficiais de Justiça vivem desde sempre em pleno...

  • Anónimo

    mesmo 3º mundo! triste sina

  • Anónimo

    Força na denuncia de qualquer ato de corrupção sem...

  • Anónimo

    Para se fazer greve é preciso convoca-la, devendo ...

  • Anónimo

    Mas não há uma greve?

  • Anónimo

    Mas não há uma greve? Vamos ser sérios. Perante a ...




oficialdejustica.blogs.sapo.pt

Ligações

Ligações de INTERESSE:

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  •  
  • Ligações a LEGISLAÇÃO

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  • Em alguns casos, pode não ver todo o documento mas só a primeira página. Baixe o documento para o ver e ficar com ele na totalidade.

  •  
  • _______________________

  •  
  • Ligações a DOCUMENTOS

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  •  
  • Ligações dos TRIBUNAIS

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  •  
  • POR e PARA Oficiais de Justiça

  •  
  •  
  • ________________________


    Onde encontrar o Ofici@l de Justiç@?

    Os artigos aqui publicados são distribuídos por e-mail a quem os subscrever e são ainda publicados no Facebook, no Twitter, no "Blogs Portugal", no "Reddit" e no WhatsApp, ou seja, em 7 plataformas diferentes:

    1- Sapo (oficialdejustica)

    2- Facebook (OficiaisJustiçaPortugal)

    3- Twitter (OfJustica)

    4- Blogs Portugal

    5- Reddit (OficialJustica)

    6- WhatsApp

    7- Assinantes por "e-mail"






    Para além das outras possibilidades de comunicação, se pretender comunicar por e-mail, use o endereço abaixo indicado:

    OJ@SAPO.PT

    .......................................................................................................................