Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Oficial de Justiça

Bem-vindo/a ao DIÁRIO DIGITAL DOS OFICIAIS DE JUSTIÇA DE PORTUGAL publicação periódica independente com 8 anos de publicações diárias especialmente dirigidas aos Oficiais de Justiça



oficialdejustica.blogs.sapo.pt
DIÁRIO DIGITAL DOS OFICIAIS DE JUSTIÇA DE PORTUGAL (DD-OJ)
As publicações desta página podem ser encontradas diariamente em diversas plataformas:
oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt

...............................................................................................................................
| | | - COVID-19
[1] - Compilação de Sugestões de Medidas de Proteção Práticas para Oficiais de Justiça
[2] - Consulte aqui os dados oficiais diários atualizados da DGS e infografias
[3] - Consulte também aqui, em primeira mão, as notícias que a agência Lusa fornece para a comunicação social, entretanto com acesso gratuito

...............................................................................................................................
FERIADOS MUNICIPAIS NESTA SEMANA:
- 10MAI-Seg - Ponta Delgada.
- 12MAI-Qua - Aveiro.
- 13MAI-Qui - Alcanena, Alenquer, Almeirim, Alter do Chão, Alvito, Anadia, Ansião, Arraiolos, Arruda dos Vinhos, Azambuja, Beja, Benavente, Cartaxo, Chamusca, Estremoz, Golegã, Loulé, Mafra, Marinha Grande, Mealhada, Melgaço, Monchique, Mortágua, Oliveira do Bairro, Quarteira, Salvaterra de Magos, Santa Comba Dão, Sobral de Monte Agraço, Torres Novas, Vidigueira, Vila Franca de Xira e Vila Real de Santo António.
- 14MAI-Sex - Vouzela.
- 15MAI-Sab - Caldas da Rainha.
- 16MAI-Dom - Fafe.
& pode ver + no Calendário do Oficial de Justiça 2021
...............................................................................................................................

Quinta-feira, 30.01.14

A Primeira Abertura de 2014

      Decorreu ontem a cerimónia de abertura do ano judicial, iniciado em 01-01-2014, e que corresponderá ao ano judicial mais curto, pois ainda neste ano civil de 2014 terá que ser novamente reaberto por efeito da legislação regulamentar a ser publicada no próximo mês de fevereiro, tal como já se explicou no artigo aqui publicado no passado dia 18JAN no artigo com o título: “Governo corta duração do Ano Judicial para 8 meses”.

      Nesta cerimónia de abertura, os intervenientes com direito ao uso da palavra comentaram, como habitualmente, o passado, o presente e o futuro da Justiça.

     A MINISTRA DA JUSTIÇA

      A Ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz, louvou a reforma da Justiça, apontando o dedo a "alegados especialistas" que "vivem do desconhecimento do sistema", afirmando que "os negócios da Justiça" vão acabar.

      A Ministra da Justiça iniciou o seu discurso assim:

      «Os profetas do imobilismo, os amantes do caos, os que clamavam para que nada de substancial se alterasse, falharam as suas previsões e intentos. Terminarão os negócios da Justiça. Terminarão os formalismos.»

      Referiu as mudanças introduzidas com o novo Código do Processo Civil, o novo Código da Insolvência e da Recuperação de Empresas e a outras regras que irão alterar a relação entre os cidadãos e a administração pública, acrescentando ainda que: "Os polvos multiplicam-se na globalização desregulada, mas nós estaremos cá. No fundo, os ratos aliam-se, reconhecem-se, invadem. Também alegados especialistas vivem do desconhecimento do sistema, procuram ignorar o que foi e é feito, todos os dias por tantos, mas vivem disso".

      Citou ainda alguns números para demonstrar o sucesso do que já foi feito na reforma da Justiça: "A taxa de resolução nas ações executivas cíveis é superior a 190%; a duração média dos processos de falências, insolvências e recuperação de empresas no âmbito do PER (Processo Especial de Revitalização) é de dois meses e é possível aferir que 42,9% destes processos terminam por acordo. São decorrências das reformas efetuadas".

      Paula Teixeira da Cruz prometeu para breve a colocação à discussão pública do futuro Código de Processo nos Tribunais Administrativos, cujas propostas desenhadas pelo seu ministério incluem mudanças nas providências cautelares e a simplificação de processos colocados por cidadãos e que impliquem a obtenção de pareceres ou aprovações de múltiplas entidades da administração pública.

      A Ministra referiu-se também à reforma da "organização judiciária", que não se limita à redistribuição geográfica de tribunais, admitindo que "é imperioso reforçar o número de Oficiais de Justiça que hoje fazem o impossível” nos tribunais, bem como reforçar “os meios humanos afetos à Polícia Judiciária e ao Corpo da Guarda Prisional”.

      A BASTONÁRIA DA ORDEM DOS ADVOGADOS

      A Bastonária da Ordem dos Advogados começou a sua intervenção abordando a austeridade em curso, afirmando que "hoje há fome e existe miséria em Portugal", criticando duramente as reformas do Código de Processo Penal e do Código de Processo Civil.

      Disse: “Não podemos aceitar que, por força da reforma do Código do Processo Penal, se possa substituir uma investigação por uma confissão, se valorize um depoimento prestado perante quem não é uma autoridade judiciária ou se possa condenar um cidadão, privá-lo mesmo da liberdade, sem respeito pelos direitos de defesa, nas suas mais amplas emanações, com restrições de prova ou valorizações de circunstâncias - como é o flagrante delito”.

      A bastonária comparou o espírito da atual reforma do Código do Processo Penal com o "pensamento obscuro que assentava em poderes irresponsáveis e sem controlo" do tempo da ditadura vivida em Portugal até 1974, referindo-se à ideia de que se possa consentir "que sejam valorizados depoimentos de testemunhas ou arguidos prestados sem a presença de um advogado, tantas vezes com falta de liberdade ou sob ameaças, ainda que subliminares”.

      “Também nos tribunais plenários se liam confissões, arrancadas sob o terror da tortura, que duas testemunhas “oficiais” certificavam como produzidas com absoluta consciência e em liberdade, que nem os protestos dos advogados conseguiam impedir de ser valorizadas e de fundamentarem condenações produzidas por uma magistratura, vergada ao poder político, que desvalorizava o advogado e se demitiu da sua função soberana de administrar a justiça”.

      Houve ainda uma alusão, no discurso da bastonária, ao novo mapa judiciário e à reformulação do sistema de acesso ao direito. “Encerrar tribunais ou desqualificá-los, obrigando populações a deslocar-se às capitais de distrito, que nem sequer gozam tantas vezes de centralidade geográfica, representa a página mais negra escrita pelos nossos deputados e traduz a capitulação do Estado numa das suas principais responsabilidades, que é assegurar a administração da Justiça”.

      A PROCURADORA-GERAL DA REPÚBLICA

      A Procuradora-Geral da República (PGR) salientou a “imperiosa necessidade do reforço dos meios de investigação dos órgãos de polícia criminal”, designadamente, da Polícia Judiciária, e pediu uma “separação clara entre as competências de investigação criminal e as de segurança”.

      Joana Marques Vidal, disse ainda que “importa intensificar a capacidade efetiva de direção do inquérito (investigação) por parte do Ministério Público” e aprofundar as metodologias de trabalho e ligação com os órgãos de polícia criminal, promovendo a formação especializada dos magistrados.

      “O objetivo primordial da ação do Ministério Público continua a ser a luta contra a criminalidade económico-financeira, incluindo a corrupção e os crimes afins, e o combate contra a criminalidade violenta e organizada», disse a PGR.

      O PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL DE JUSTIÇA

      O presidente do Supremo Tribunal de Justiça contrariou a ideia de que há "crise da Justiça", salientando que os tribunais judiciais "responderam, em geral, com eficiência às solicitações dos cidadãos e das empresas".

      Referiu que “no quinquénio de 2008 a 2012 a evolução da situação processual foi consistente e positiva. Em geral, as taxas de resolução têm sido positivas e as taxas de congestão diminuíram sensivelmente, os tempos de resolução também apresentam alguma evolução positiva na maior parte das espécies processuais".

      Henriques Gaspar sublinhou o elevado nível, a qualidade e os curtos tempos de decisão dos tribunais superiores (Relação e STJ), admitindo que subsistem "algumas dificuldades" nos tribunais de 1.ª instância e que um fator que "condiciona negativamente as perceções" sobre a justiça está na ação executiva (cobrança de dívidas e penhoras).

      "A ação executiva representa mais de 70 por cento de todo o contencioso pendente nos tribunais judiciais (73% em 2012), os números estão registados no sistema, mas fogem ao controlo dos tribunais, permanecendo na responsabilidade de agentes de execução em regime privado", referiu.

      Apontou como positivo o facto de as últimas medidas legislativas terem permitido "retirar do sistema mais de uma centena de milhar de falsas pendências", antevendo que a continuação da aplicação do novo regime irá melhorar as estatísticas.

      Mostrou-se, porém, preocupado com a entrada no sistema de execução de centenas de milhares de processos relacionados com dívidas a empresas de telecomunicações, as quais já ascendiam a 1.300 milhões de euros, ou seja a 0,8 por cento do PIB.

      No cômputo final, o presidente do STJ entende que a chamada "crise da justiça" está "afastada dos espaços da razão" e enfatizou que é um dever e uma prioridade "restaurar a confiança" no setor.

      Quanto à reorganização judiciária/mapa judiciário, Henriques Gaspar disse que a mesma deveria merecer "amplo consenso" e que em qualquer "modelo de organização territorial, a gestão e administração do tribunal pode constituir o segredo do êxito".

     Admitiu que os poderes dos presidentes das comarcas na direção do tribunal, na organização dos serviços, e na administração processual, serão determinantes com a nova organização judiciária, mas ressalvou que é preciso evitar conflitos entre o que é gestão processual e aquilo que é reserva da jurisdição e independência do juiz.

      Henriques Gaspar lembrou que a Justiça "constitui valor central" e que "não é controlável, nem manipulável" e que todos os cidadãos tem que estar conscientes de que "nada está garantido" e que "sem justiça, o risco do regresso à corrente de pensamento de Hobbes de que "o homem é o lobo do homem" poderá ser maior do que "o aparente sossego deixaria adivinhar". "Temos de estar atentos e vigilantes (...). Estado mínimo exige justiça máxima", concluiu.

      O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

      O Presidente da República disse que "Chegámos ao momento das grandes opções. É agora, neste ano de 2014, sem mais adiamentos ou hesitações, que teremos de escolher os nossos caminhos do futuro".

      Recuperando o tema do “pós-troika” que ao longo do último ano tem introduzido de forma recorrente nas suas intervenções, o chefe de Estado sublinhou que, em 2014, ano de conclusão do programa de ajustamento, Portugal terá de fazer "opções de fundo", porque o que for feito ou deixar de ser feito "irá ter reflexos duradouros, positivos ou negativos", consoante se saiba "estar, ou não, à altura da responsabilidade que a hora presente exige de todos".

      Afirmou também que "Podemos ainda afirmar que o Estado social de Direito, princípio estruturante da Constituição da República, não foi ameaçado nos seus fundamentos e alicerces. A Constituição, matriz fundadora da nossa República, não foi suspensa. Os portugueses reveem-se no modelo do Estado social de Direito e querem que este seja preservado nas suas linhas essenciais".

      Relativamente à Justiça referiu que "As medidas a adotar no domínio da Justiça devem ser objeto de um amplo consenso político, construído em diálogo com os operadores judiciários. As mudanças nos códigos e nas leis devem ter por suporte um consenso que assegure a sua estabilidade, de modo a que as alterações introduzidas sejam devidamente avaliadas e ponderadas quanto aos efeitos que visam alcançar e não naveguem ao sabor do ciclo político ou económico".

por: GF
oficialdejustica.blogs.sapo.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)

Temas/"Tags":

às 00:30



BandeiraPT oficialdejustica.blogs.sapo.pt
.................................................. INICIATIVAS COMPLEMENTARES:
..................................................
PERMUTAS para Oficiais de Justiça (Lista de Permutas)
Veja os pedidos existentes e envie os seus para o e-mail dedicado:
PermutasOJ@sapo.pt
Consulte a lista aqui

saiba+aqui
..................................................
MEDIDAS e Sugestões de Proteção Prática para Oficiais de Justiça
Veja a compilação de sugestões recebidas até ao momento e envie o seu contributo para o e-mail:
OJ@sapo.pt
Consulte a lista aqui

..................................................
Legislação e Publicações Relevantes - Lista com seleção diária de legislação e outras publicações relevantes em Diário da República e noutras fontes.
Consulte a lista aqui
saiba+aqui

..................................................
Lista de Alojamentos
Anúncios de Procura e de Oferta de alojamentos para Oficiais de Justiça. Contacte pelo e-mail dedicado:
ProcuraAlojamento@sapo.pt
Consulte a lista aqui

saiba+aqui
..................................................
Grupo WhatsApp para Oficiais de Justiça
A comunicação direta de, para e com todos. Saiba+Aqui

..................................................
Lista de Anúncios para Partilha de Carro
Boleias e partilhas de lugares nos carros, sejam diárias, aos fins-de-semana, para férias ou ocasionais, anuncie a disponibilidade e contacte pelo e-mail dedicado:
PartilhaDeCarro@sapo.pt
Consulte a lista aqui

saiba+aqui
..................................................
Estatuto dos Oficiais de Justiça EOJ - Para assuntos relacionados com o Estatuto em apreciação use o e-mail dedicado:
Estatuto-EOJ@sapo.pt

veja+aqui
..................................................
Histórias de Oficiais de Justiça (Compilação)
Envie histórias, peripécias, sustos, etc. para o e-mail dedicado:
HistoriasDeOficiaisDeJustica@sapo.pt

saiba+aqui

..................................................
Acordos & Descontos para Todos - Lista de descontos para Oficiais de Justiça oferecidos por empresas privadas.
Consulte a lista aqui
saiba+aqui

..................................................

..................................................
Endereço Geral da página - Para assuntos diversos, use o endereço de e-mail geral:
OJ@Sapo.Pt

..................................................
Veja por aqui + informação sobre o Perfil / Autoria da página
+
Veja também por aqui o Estatuto Editorial e a Direção desta publicação
..................................................
Dúvidas sobre a Justiça?
Ligue para a Linha Justiça
(MJ) (chamada gratuita):
800 910 220
(das 9h às 19h nos dias úteis)
saiba+aqui e veja também o portal da Justiça em justiça.gov.pt
..................................................
Linha de Emergência Social:
Apoio da Segurança Social e do Ministério da Justiça:
144 (Linha Gratuita 24 h)
saiba+aqui
Linha da Segurança Social:
300 502 502 (das 09h às 18h)
..................................................
Outras Linhas de Apoio:
808 24 24 24 - SNS 24 / Saúde 24
(custo de chamada local)
800 209 899 - SOS Voz Amiga
(das 16h às 24h) (gratuita)
808 237 327 - Conversa Amiga
(das 15h às 22h) (gratuita)
239 484 020 - SOS Estudante
(das 20h à 1h)
222 080 707 - Telf. Esperança
(das 20h às 23h)
800 990 100 - SOS Pessoa Idosa
(das 10h às 17h) (gratuita)
..................................................

Meteorologia

Porto
Lisboa
Faro

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Janeiro 2014

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D

Para Contactar:

Para mensagens breves pode usar a caixa de mensagens abaixo (mensagens instantâneas) ou usar o endereço geral de e-mail: oj@sapo.pt para mensagens maiores, com imagens ou anexos ou se quiser uma resposta.

Mensagens Instantâneas

Na caixa de mensagens abaixo pode enviar qualquer tipo de mensagem de forma simples e rápida. Basta escrever, carregar no botão "Enviar" e já está. Estas mensagens são anónimas, não são públicas nem são publicadas. Como as mensagens são anónimas se quiser resposta indique o seu e-mail.

Mensagens

Subscrever para receber e-mail

Pode receber no seu e-mail cada artigo aqui publicado, para isso basta indicar o seu e-mail e depois ir lá confirmar a subscrição na mensagem que lhe será enviada. Simples, automático e recebendo cada artigo logo que publicado. .................................................

Escreva abaixo o seu endereço de e-mail:

Não esqueça ir depois ao seu e-mail confirmar a subscrição (se ocorrer avaria comunique).


Comentários

Pode comentar cada artigo e responder a comentários já existentes. Os comentários podem ser anónimos ou identificados e o conteúdo não é previamente (mas posteriormente) verificado.
Para comentar os artigos selecione "Comentar".
Os comentários são públicos. Para mensagens privadas use a caixa de mensagens ou o e-mail.
Os comentários ou respostas colocados pela administração da página surgem identificados como "oficialdejustica" e clicando no nome acede ao perfil da página. Não se identifique com nomes e de forma igual ou parecida com a referida designação.
Os comentários e as críticas não devem atingir pessoas mas apenas ideias. A discussão deve ser saudável, construtiva e digna. Serão eliminados os comentários que se julguem inadequados.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Revisitar a história da luta dos Oficiais de Justi...

  • Anónimo

    Os esquecidos da Justiça reclamam um regime difere...

  • Anónimo

    Esperamos um comunicado do SOJ a apoiar, de forma ...

  • Anónimo

    "todos se virão". Infelizmente é isto o que mais t...

  • Anónimo

    Os Oficiais de justiça "velhos" já foram "novos".....

  • Anónimo

    "Segundo António Costa, a reforma das profissões r...

  • Anónimo

    Ocorreu já a segunda reunião para a criação da com...

  • Anónimo

    A história é cíclica. Perante a figura paternalist...

  • Anónimo

    Greve de zelo já. Desvinculo com sindicatos já. Nã...

  • Anónimo

    Um circuito legislativo sem fim à vista. Temos que...

  • Anónimo

    O SFJ apresentou uma queixa à Senhora Provedora de...

  • Anónimo

    Muitos parabéns ao SOJ que também nos representa, ...

  • Anónimo

    Rui Rio, também ele com "conversa de circunstância...

  • Anónimo

    Compreendo-o perfeitamente. Sinto o mesmo! Anos e ...

  • Anónimo

    "Decepcionante para as pessoas e descredibilizante...

  • Anónimo

    Submissos e bem comportados como temos sido ao lon...

  • Anónimo

    Amanhã - Jardim do Palacio de Cristal no Porto:Um ...

  • Anónimo

    Vi agora uma reportagem sobre a greve do SEF.Ao qu...

  • Anónimo

    Neste momento só penso no movimento ...Quero ir-me...

  • Anónimo

    Cimeira Social no Porto. Os sindicatos deviam marc...

  • Anónimo

    Quando será apreciado? Daqui a uma semana, um mês,...

  • Anónimo

    Cimeira Europeia do Porto: polícias, enfermeiros e...

  • Anónimo

    Houve plenário na escadaria do Palácio da Justiça.

  • Anónimo

    É para ficar desiludido, no entanto não podemos de...

  • Anónimo

    Isso é desculpa da Sra. Ministra.Já se anda a trat...




oficialdejustica.blogs.sapo.pt

Ligações

Ligações de INTERESSE:

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  •  
  • Ligações a LEGISLAÇÃO

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  • Em alguns casos, pode não ver todo o documento mas só a primeira página. Baixe o documento para o ver e ficar com ele na totalidade.

  •  
  • _______________________

  •  
  • Ligações a DOCUMENTOS

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  •  
  • Ligações dos TRIBUNAIS

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  •  
  • POR e PARA Oficiais de Justiça

  •  
  •  
  • ________________________


    Onde encontrar o Ofici@l de Justiç@?

    Os artigos aqui publicados são distribuídos por e-mail a quem os subscrever e são ainda publicados no Facebook, no Twitter, no "Blogs Portugal", no "Reddit" e no WhatsApp, ou seja, em 7 plataformas diferentes:

    1- Sapo (oficialdejustica)

    2- Facebook (OficiaisJustiçaPortugal)

    3- Twitter (OfJustica)

    4- Blogs Portugal

    5- Reddit (OficialJustica)

    6- WhatsApp

    7- Assinantes por "e-mail"






    Para além das outras possibilidades de comunicação, se pretender comunicar por e-mail, use o endereço abaixo indicado:

    OJ@SAPO.PT

    .......................................................................................................................