Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Oficial de Justiça

Bem-vindo/a ao DIÁRIO DIGITAL DOS OFICIAIS DE JUSTIÇA DE PORTUGAL publicação periódica independente com 6 anos de publicações diárias especialmente dirigidas aos Oficiais de Justiça



oficialdejustica.blogs.sapo.pt
DIÁRIO DIGITAL DOS OFICIAIS DE JUSTIÇA DE PORTUGAL (DD-OJ)
As publicações desta página podem ser encontradas diariamente em diversas plataformas:
oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt

GREVE EM CURSO:
Está a decorrer entre o dia 22JAN e o dia 21DEZ de 2020 a greve decretada pelo SOJ ao trabalho fora das horas normais de expediente, em dois períodos de cada dia: um período de 1 hora entre as 12H30 e as 13H30 e outro período de 16 horas, depois das 17H00 até às 09H00 do dia seguinte. Esta greve abrange todos os Oficiais de Justiça, sindicalizados ou não, perante qualquer diligência, ainda que tenha caráter urgente, na hora de almoço, existindo no entanto serviços mínimos decretados para o 2º período com um total de 16 horas, depois das 17H00.
Pode aceder por aqui ao ofício da DGAJ contendo a indicação dos serviços mínimos.
...............................................................................................................................

Quinta-feira, 23.03.17

Afinal Havia Outra

      Para além do anunciado procedimento cautelar interposto pelo Sindicato dos Funcionários Judiciais (SFJ) e por este anunciado, contra o concurso de admissão dos 400 lugares de ingresso, há também uma outra ação interposta pelo Sindicato dos Oficiais de Justiça (SOJ) que, igualmente, pretende anular algumas das normas do concurso lançado no passado mês de janeiro, por, também, as considerar ilegais.

      A informação não está acessível desde as páginas do SOJ mas esta terça-feira o Público assim a divulgava:

      «Em causa estão os requisitos de admissão na carreira. Diz o estatuto profissional dos funcionários judiciais que só pode entrar na carreira quem tenha frequentado um de dois tipos de cursos, o de técnicos de serviço jurídico ou o de técnicos superiores de justiça. “Mas duas das disposições do concurso permitem que possam entrar para a carreira pessoas sem nenhum destes cursos”, avisa o presidente do sindicato, Carlos Almeida. “O que pode levar à impugnação dos resultados do concurso por quem quer que se sinta prejudicado”, com o consequente adiamento da entrada dos novos funcionários ao serviço. A falta de Oficiais de Justiça é um dos grandes problemas dos tribunais portugueses, tem reconhecido a tutela.

      O objetivo desta ação judicial, explica o dirigente sindical (SOJ), é que o Tribunal Administrativo do Círculo de Lisboa decrete a nulidade das normas em causa sem, porém, invalidar o concurso. Caso contrário, poder-se-ão candidatar a Oficiais de Justiça “qualquer agente da PSP ou da GNR, por exemplo”, uma vez que uma das normas do concurso permite candidatos com o 12.º ano que tenham exercido pelo menos durante um ano funções integrantes dos conteúdos funcionais da carreira de funcionário judicial. “Ora, fazer serviço externo e expedir correspondência fazem parte desses conteúdos funcionais”, detalha Carlos Almeida, acrescentando que, antes de avançar para tribunal, o sindicato ainda teve reuniões no Ministério da Justiça. “Disseram-nos que a questão ia ser analisada mas mantiveram tudo na mesma”, conta o dirigente sindical. Para complicar ainda mais as coisas, “as candidaturas já estão apuradas: tinham de ser entregues até 16 de Fevereiro.”

      Não é a primeira vez que os sindicatos dos funcionários dos tribunais recorrem à justiça para pôr em causa os concursos lançados pela tutela para a admissão de novos profissionais. Sucedeu várias vezes no passado.»

      Fonte: “Público”.

      Perante mais este novo dado, concluímos que o concurso lançado pela DGAJ, atacado por duas ações, corre um sério risco de ser anulado para ser reformulado, uma vez que vir agora com anulações parciais e remendos não se mostra igualmente aceitável, como propõe o SOJ. Anular apenas alguns aspetos e aproveitar os demais, constitui algo igualmente inaceitável, uma vez que os candidatos que se apresentaram ao concurso, fizeram-no na expectativa de todas as condicionantes existentes, isto é, do conjunto dos critérios anunciados. Assim, vir agora anunciar a validade do concurso para parte dos aspetos, significa que estamos perante um diferente concurso, com diferentes condições, agora pré-existentes e sem possibilidade de reversão, isto é, as novas condições de acesso, diferentes das inicialmente apresentadas, já não podem ser objeto de novas candidaturas porque estas já estão fechadas.

      Perante uma nova realidade, há que permitir novas candidaturas, pois existe a possibilidade de, por exemplo, alguém não ter apresentado a sua candidatura por ter constatado que o concurso seria muito concorrido com as normas alargadas anunciadas e, caso as mesmas não fossem tão alargadas, então concorreria. Ora, alterando as normas mas não permitindo a revalidação opcional das candidaturas já apresentadas nem a aceitação de novas, tal seria um novo disparate.

      Assim, a solução mais razoável é apenas uma: começar tudo de novo e começar o mais depressa possível. Ou seja, deverá a DGAJ publicar um novo e correto aviso com as novas e concretas condições e, já agora, de preferência, consultando previamente e pedindo ajuda aos Oficiais de Justiça para que sejam estes a verificar se as decisões e opções que tomam estão conformes à lei, evitando assim novos problemas e contratempos que teriam sido evitados caso tal consulta tivesse sido realizada.

      Neste momento, independentemente das decisões dos tribunais, a DGAJ pode solucionar este erro com brevidade e aquilo que os Oficiais de Justiça gostariam de ver suceder por parte da DGAJ é simplesmente que venha considerar nulo o aviso publicado, anulando o concurso, que peça desculpa aos candidatos pelo erro cometido e pelo transtorno e despesas que causou e que abra novo procedimento concursal com a máxima brevidade, sem mais inútil perda de tempo.

DoisDedos.jpg

por: GF
oficialdejustica.blogs.sapo.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 08:03


21 comentários

De marto a 23.03.2017 às 09:32

Estas tricas já começam a enfadar quem lê.
Talvez fosse altura de falar durante uns tempos das condições deploráveis de vida que alguns Oficiais de Justiça têm atualmente, fruto dos salários miseráveis que recebem, acrescido ao aumento de trabalho, fruto dos que saíram sem ninguém ter entrado.
Dois sindicatos a lutar entre si, comentadores pelo meio, e ninguém inicia a luta por condições de vida e salários dignos. Já saturam estes posts de desmentidos e critica gratuita a tudo e todos, quando o essencial não se anda a discutir.
Para quando uma jornada de luta a sério ???
Durante quantos anos mais teremos de aguentar este congelamento de carreiras e salários, com visível perda de poder de compra de ano para ano, enquanto os sindicatos olham para o lado e praticamente desaconselham a luta???

De Maria silva a 23.03.2017 às 13:13

Os oficiais de justiça ganham mal? Não deve ser em Portugal com certeza ;) Olhe mais à volta e menos para o umbigo.

De marto a 24.03.2017 às 09:13

Se não ganha mais, é porque talvez não tenha competências para tal, meu caro.
Agora não nivele por baixo, achando que todos devem ganhar pouco.
Está claro que não tem acesso a folhas de salário de empresas privadas. Caso tvesse, não diria boçalidades.

De Nuno a 23.03.2017 às 10:06

E é graças a esses senhores que muitos não irão conseguir adquirir um emprego que há muito merecem, visto que existe casos de pessoas a trabalhar nos tribunais há mais de 1 ano, desempenhando funções tão bem quanto um oficial de justiça, e diria até melhor. Estas mesmo não tendo a formação, possuem as capacidades e experiência o suficiente para ingressar nesta carreira.

De Anónimo a 23.03.2017 às 10:21

Obrigado aos sindicatos por arruinarem as expetativas de centenas de candidatos sem se saber o que pretendem ganhar com todas estas ações de impugnação do concurso.

De anonimo a 23.03.2017 às 11:03

Para que as coisas não fossem mais adiadas acho que a melhor forma era mesmo anular as alineas que causam ilegalidade e continuarem o concurso. As pessoas que tiraram os cursos referido pelo estatuto não deveriam de ficar prejudicadas por terem querido alargar as normas de ingresso sem estarem previstas no estatuto.

De Anónimo a 23.03.2017 às 13:53

"Ou seja, deverá a DGAJ publicar um novo e correto aviso com as novas e concretas condições e, já agora, de preferência, consultando previamente e pedindo ajuda aos Oficiais de Justiça para que sejam estes a verificar se as decisões e opções que tomam estão conformes à lei, evitando assim novos problemas e contratempos que teriam sido evitados caso tal consulta tivesse sido realizada."

O autor do artigo esquece-se que quem faz as leis é o governo (além da AR), e não os sindicatos!

De oficialdejustica a 23.03.2017 às 19:58

Esclarecimento: o "Anónimo das 13:53" parece não ter lido bem o artigo, pois ali não se diz que sejam os sindicatos a fazer leis mas apenas que possam ajudar quem as faz e as aplica a percebê-las, pois não as têm vindo a perceber (integralmente e ainda com certa periodicidade) e, com essa falta, vêm sistematicamente prejudicando todos os Oficiais de Justiça em funções e ainda aqueles que pretendem sê-lo.

De Anónimo a 23.03.2017 às 15:51

Comentário apagado.

De Anónimo a 23.03.2017 às 16:51

Tendo em conta o seu vocabulário, preenche melhor os requisitos para essa profissão do que os "betinhos".

De Anónimo a 23.03.2017 às 17:01

Vai ler portarias e cala a boca... ZÉ !

De Anónimo a 23.03.2017 às 18:04

Prefiro ler Bernard Shaw e ele dizia: "Nunca lutemos com um suíno: nós sujamo-nos e o suíno gosta."

De oficialdejustica a 23.03.2017 às 20:10

Esclarecimento: O "Anónimo das 15:51" deixou um comentário que não agrada nem aos leitores nem à administração da página, uma vez que se expressa de forma muito inadequada. Pode perfeitamente formular a opinião de que acha bem o sucedido e que os visados poderiam até ir trabalhar para as obras mas complementar tal pensamento com linguagem tão vernácula não só deita por terra a sua opinião como incomoda quem aqui participa com um sentido de preocupação e com uma interação diferente, que se encontra mais próximo do objetivo desta página. Assim, é intenção da administração da página suprimir aquele comentário, o que, no entanto, se deixa ao critério dos leitores, por algum tempo, pois se houver argumentos válidos para que tal censura não ocorra, respeitar-se-á essa opinião que, neste momento, não se vislumbra.

De Anónimo a 23.03.2017 às 17:17

Número Entrada: 495637
Entrada: 17/03/2017
Distribuição: 17/03/2017
Autor: Sindicato dos Oficiais de Justiça
Réu: Direção Geral dos Serviços Judiciarios
Unidade Orgânica 3
Processo: 653/17.0BELSB
Valor: 30 000,01 €
Espécie: Ação administrativa

De Anónimo a 23.03.2017 às 17:25

Lembraram-se passado mais de um mês do fim do período de candidaturas que também queriam impugnar... Isto é para quê? Para mostrar que não queriam ficar atrás do SFJ??

Onde estão os cadáveres, aí estarão os abutres...

De anonimo a 24.03.2017 às 14:04

Sabe qual é o prazo em que o procedimento tem que ser decidido ?

De Anónimo a 24.03.2017 às 16:49

Acho que ninguém sabe, o procedimento cautelar é urgente, mas pode demorar uns bons meses

De Anónimo a 23.03.2017 às 19:17

Por via das suas missões sociais e pela autoria das acções judiciais em curso, ambas as estruturas sabem quantos concorrentes se candidataram ao abrigo de cada alínea.

Cada um deles, juridicamente, é um potencial contra-interessado em cada uma dessas acções.

Os cerca de 7000 OJ em funções, moralmente, são interessados em ver reforçadas as secções em que trabalham, embora muitos ajam no sentido inverso.

E, os sindicalizados pagantes de cada estrutura, ética, jurídica e financeiramente, são interessadíssimos.

Quanto aos contra interessados, já lá iremos, ou melhor, já lá voltaremos, porquanto já lá estivemos, e bem recentemente.

Quanto aos interessados, são credores de uma explicação pública dos autores da acções judiciais em curso, pois metade deles foi atirada para dentro de uma sala de audiências há vinte anos e ainda lá está e vai continuar, embora muitos, da outra metade, encham a boca para dizer, orgulhosamente, que nunca por lá passaram.

Quanto aos interessadíssimos, amanhã de manhã, quererão ver tudo bem explicado nas páginas oficiais de cada uma das estruturas.

E dessa explicação deve constar, pois é um dado do conhecimento da contraparte, quantos se candidataram ao abrigo de cada uma das quatro alíneas, para que se afira da bondade das duas iniciativas sindicais e para que se mostre que não estarão a fazer um favor à administração, ou outra coisa ainda pior.

Há que saber se os das alíneas inovadoras estão a “tirar o lugar” a quem concorra nas duas alíneas “estatutárias”.

Ou o n.º 400 foi escolhido por ser igual a quantos ainda há com tais habilitações que assim não enfrentariam concorrência de maior?

Ou os sindicatos acham que são alguma entidade divina que não tem que prestar contas da sua actividade a quem a paga?!

Eles só existem para servir os seus associados.

SER-VIR!

E é totalmente falso o que afirma o SOJ acerca do ingresso na carreira pois o EFJ prevê três regimes sendo que aquele que referiu ao Público, que felizmente, tem endereço, quer postal, quer de correio eletrónico, é apenas um deles.

E tanto pode impugnar os resultados do concurso “quem quer que se sinta prejudicado” como se afirma e bem, como, no caso da procedência total ou parcial da acção qualquer contra-interessado poderá recorrer dessa sentença, como se omite, e mal.

E em qualquer dos casos a consequência será a mesma: “o consequente adiamento da entrada dos novos funcionários ao serviço”.

Portanto, os 7000 não serão reforçados tão cedo, e de entre eles há, de facto, quem mereça e quem não mereça.

Mas, o cidadão precisa e não vai ter por causa do jeito que alguns têm para cavar a sua própria sepultura, e mais grave ainda, a dos outros.

De Anónimo a 03.04.2017 às 14:35

Não diria melhor meu caro... Eu sou uma das pessoas que se candidatou ao concurso aberto, uma vez que, fiz um estágio pepac. As expectativas dos candidatos que como eu se candidataram pelo regime de "excepção" deviam ser protegidas. Assim, caso o concurso venha a ser anulado ou que pessoas na mesma situação que eu não possam agora ser admitidos para a prova podem e devem recorrer como interessados, eu pondero recorrer caso a acção seja procedente. Não percebo a atitude dos sindicatos ao impugnar o concurso que não prejudica ninguém, uma vez que, os cursos previstos no estatuto não foram preteridos e todos os candidatos concorrem em iguais condições. Assim terá de se aguardar meses pelo desfecho das acções para que o concurso continue ou não. Atrasos na justiça, funcionários sobrecarregados com serviço, não se percebe a função dos sindicatos que só contribuem para o atraso da justiça.

De Anónimo a 04.04.2017 às 09:27

O colega sabe qual o estado do procedimento cautelar?

Já tentei ligar para o tribunal mas em vão...

De Anónimo a 23.03.2017 às 20:12

Comentário apagado.

De oficialdejustica a 23.03.2017 às 23:52

Esclarecimento: O "Anónimo de 23MAR às 20:12" não parece produzir um comentário mas tão-só um simples e gratuito insulto aos dois sindicatos. Este insulto é simples e gratuito porque não se mostra acompanhado de nenhuma argumentação que o sustente. Assim, uma vez que causa desagrado esta atuação insultuosa, tal comentário será eliminado durante as próximas 24 horas, a não ser que esta supressão seja motivo de crítica razoável para que tal censura não suceda, com argumento válido, que, no entanto, neste momento, não se vislumbra.

De Anónimo a 23.03.2017 às 20:44

Existe algo que nao compreendo em toda esta parafernalia de atividade sindical,ambos os sindicatos tem um ponto em comum a não aceitação da admissão de estagiarios pepac,na carreira de funcionario judicial,mas,porem,ambos os sindicatos permitem que, ano após ano entrem , e estagiem durante 12 meses estes mesmos.
E coeriencia, não?

Comentar Artigo



BandeiraPT oficialdejustica.blogs.sapo.pt
.................................................. INICIATIVAS COMPLEMENTARES:
..................................................
Acordos & Descontos para Todos - Lista de descontos para Oficiais de Justiça oferecidos por empresas privadas.
Consulte a lista aqui
saiba+aqui

..................................................
Legislação e Publicações Relevantes - Lista com seleção diária de legislação e outras publicações relevantes em Diário da República e noutras fontes.
Consulte a lista aqui
saiba+aqui

..................................................
Lista de Alojamentos
Anúncios de Procura e de Oferta de alojamentos para Oficiais de Justiça. Contacte pelo e-mail dedicado:
ProcuraAlojamento@sapo.pt
Consulte a lista aqui

saiba+aqui
.................................................. Grupo WhatsApp para Oficiais de Justiça
A comunicação direta de, para e com todos. Saiba+Aqui

.................................................. Lista de Anúncios para Partilha de Carro
Boleias e partilhas de lugares nos carros, sejam diárias, aos fins-de-semana, para férias ou ocasionais, anuncie a disponibilidade e contacte pelo e-mail dedicado:
PartilhaDeCarro@sapo.pt
Consulte a lista aqui

saiba+aqui
.................................................. PERMUTAS para Oficiais de Justiça (Lista de Permutas)
Veja os pedidos existentes e envie os seus para o e-mail dedicado:
PermutasOJ@sapo.pt
Consulte a lista aqui

saiba+aqui
.................................................. Histórias de Oficiais de Justiça (Compilação)
Envie histórias, peripécias, sustos, etc. para o e-mail dedicado:
HistoriasDeOficiaisDeJustica@sapo.pt

saiba+aqui

..................................................
Estatuto dos Oficiais de Justiça EOJ - Para assuntos relacionados com o Estatuto em apreciação use o e-mail dedicado:
Estatuto-EOJ@sapo.pt

veja+aqui
..................................................
Endereço Geral da página - Para assuntos diversos, use o endereço de e-mail geral:
OJ@Sapo.Pt

..................................................
Veja por aqui + informação sobre o Perfil / Autoria da página
+
Veja também por aqui o Estatuto Editorial e a Direção desta publicação
..................................................
Dúvidas sobre a Justiça?
Ligue para a Linha Justiça
(MJ) (chamada gratuita):
800 910 220
(das 9h às 19h nos dias úteis)
saiba+aqui e veja também o portal da Justiça em justiça.gov.pt
..................................................
Linha de Emergência Social:
Apoio da Segurança Social e do Ministério da Justiça:
144 (Linha Gratuita 24 h)
saiba+aqui
Linha da Segurança Social:
300 502 502 (das 09h às 18h)
..................................................
Outras Linhas de Apoio:
800 209 899 - SOS Voz Amiga
(das 16h às 24h) (gratuita)
808 237 327 - Conversa Amiga
(das 15h às 22h) (gratuita)
239 484 020 - SOS Estudante
(das 20h à 1h)
222 080 707 - Telf. Esperança
(das 20h às 23h)
800 990 100 - SOS Pessoa Idosa
(das 10h às 17h) (gratuita)
..................................................

Meteorologia

Porto
Lisboa
Faro

Pesquisar

Pesquisar no Blog  


Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D

Para Contactar:

Para mensagens breves pode usar a caixa de mensagens abaixo (mensagens instantâneas) ou usar o endereço geral de e-mail: oj@sapo.pt para mensagens maiores, com imagens ou anexos ou se quiser uma resposta.

Mensagens Instantâneas

Na caixa de mensagens abaixo pode enviar qualquer tipo de mensagem de forma simples e rápida. Basta escrever, carregar no botão "Enviar" e já está. Estas mensagens são anónimas, não são públicas nem são publicadas. Como as mensagens são anónimas se quiser resposta indique o seu e-mail.

Mensagens

Subscrever para receber e-mail

Pode receber no seu e-mail cada artigo aqui publicado, para isso basta indicar o seu e-mail e depois ir lá confirmar a subscrição na mensagem que lhe será enviada. Simples, automático e recebendo cada artigo logo que publicado. .................................................

Escreva abaixo o seu endereço de e-mail:

Não esqueça ir depois ao seu e-mail confirmar a subscrição (se ocorrer avaria comunique).


Comentários

Pode comentar cada artigo e responder a comentários já existentes. Os comentários podem ser anónimos ou identificados e o conteúdo não é previamente (mas posteriormente) verificado.
Para comentar os artigos selecione "Comentar".
Os comentários são públicos. Para mensagens privadas use a caixa de mensagens ou o e-mail.
Os comentários ou respostas colocados pela administração da página surgem identificados como "oficialdejustica" e clicando no nome acede ao perfil da página. Não se identifique com nomes e de forma igual ou parecida com a referida designação.
Os comentários e as críticas não devem atingir pessoas mas apenas ideias. A discussão deve ser saudável, construtiva e digna. Serão eliminados os comentários que se julguem inadequados.

Comentários recentes

  • Anónimo

    ok, obrigado

  • oficialdejustica

    Bom dia Pedro! Não são só os "Provisórios". Há "De...

  • Anónimo

    Uma dúvida se me puderem esclarecer. Quem é que ga...

  • Anónimo

    consertos, precisam-se...

  • Ana Costa

    Até 31-12-1911, a hora legal em Portugal Continent...

  • Anónimo

  • Anónimo

  • Anónimo

    https://www.dn.pt/opiniao/opiniao-dn/fernanda-canc...

  • Anónimo

    Não são gente

  • Anónimo

    Esqueçam os auxiliares

  • Anónimo

    Claro, os adjuntos e ainda mais, os escrivães auxi...

  • Anónimo

    E os adjuntos e auxiliares que se f.........

  • Anónimo

    Claro que terão de ser despromovidos. Mas a DGAJ, ...

  • Anónimo

    Como este já houve muitos mais e com tendência a a...

  • Anónimo

    Quando muitos de nós começarem a tomar a decisão q...

  • Anónimo

    Para secretários! então os novos não vão ser despr...

  • Anónimo

    mais que consabido. mais importante do que refleti...

  • Anónimo

    Existem grandes interesses ocultos para os lugares...

  • Anónimo

    Existem grandes interesses ocultos para os lugares...

  • Anónimo

    Convém ter uma comadre ou a "coisa" se quiserem, p...

  • oficialdejustica

    Sim, é possível. Peça pelo e-mail geral: OJ@sapo.p...

  • Anónimo

    seria possível enviar exemplares para ter uma idei...

  • Anónimo

    Há quem tenha descontos no tempo e fica para trás;...

  • Anónimo

    Não percebo a ordenação das listas. Quem chega mai...

  • Anónimo

    Muito bom artigo, como sempre. Este blog já fez ma...




oficialdejustica.blogs.sapo.pt

Ligações

Ligações de INTERESSE:

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  •  
  • Ligações a LEGISLAÇÃO

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  • Em alguns casos, pode não ver todo o documento mas só a primeira página. Baixe o documento para o ver e ficar com ele na totalidade.

  •  
  • _______________________

  •  
  • Ligações a DOCUMENTOS

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  •  
  • Ligações dos TRIBUNAIS

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  •  
  • POR e PARA Oficiais de Justiça

  •  
  •  
  • ________________________


    Onde encontrar o Ofici@l de Justiç@?

    Os artigos aqui publicados são distribuídos por e-mail a quem os subscrever e são ainda publicados no Facebook, no Twitter, no "Blogs Portugal", no "Reddit" e no WhatsApp, ou seja, em 7 plataformas diferentes:

    1- Sapo (oficialdejustica)

    2- Facebook (OficiaisJustiçaPortugal)

    3- Twitter (OfJustica)

    4- Blogs Portugal

    5- Reddit (OficialJustica)

    6- WhatsApp

    7- Assinantes por "e-mail"






    Para além das outras possibilidades de comunicação, se pretender comunicar por e-mail, use o endereço abaixo indicado:

    OJ@SAPO.PT

    .......................................................................................................................