Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Oficial de Justiça

Esta página é uma iniciativa informativa DIÁRIA especialmente vocacionada para Oficiais de Justiça. De forma independente da administração da justiça e dos sindicatos, aqui se disponibiliza a informação relevante com um novo artigo todos os dias.



Pode ouvir aqui rádio com música alternativa não massiva e sem publicidade


FERIADOS NESTA SEMANA:
- 23ABR-Seg - Feriado Municipal: Velas
- 25ABR-Qua - Feriado Nacional: Dia da Liberdade
- 26ABR-Qui - Feriado Municipal: Belmonte
& pode ver + no Calendário do Oficial de Justiça 2018

Oficial de Justiça Últimas Publicações:

Quarta-feira, 08.11.17

Água Mole em Pedra Dura…

      Diz o provérbio popular que “Água mole em pedra dura, tanto dá até que fura” e com isto quer dizer que a água, embora seja “mole”, mais “mole” do que uma “pedra dura”, de tanto lhe bater (imagine as ondas no mar) acaba por gastar a pedra dura e até furá-la.

     É um facto que isso acontece na Natureza e que por mais dura que seja a pedra, à custa de tanto bater, de tanto insistir, a água acaba por vencer aquela dureza. Serve esta comparação para diversas aplicações do dia-a-dia, designadamente, para dar alento àqueles que persistem num propósito que parece inalcançável ou de muito difícil atingimento, garantindo-lhes que a persistência acabará por lhes trazer o propósito que pretendem alcançar, por muito difícil que pareça alcançá-lo. A perseverança, a tenacidade, a firmeza das posturas, ainda que pequenas; passo a passo, lentamente e ainda que com retrocessos, conseguem vencer todos os obstáculos e dificuldades.

      Mas vem este paleio todo a propósito de quê?

      Vem a propósito daquilo que andamos estes dias a discutir e ainda ontem aqui abordamos, de que a ação sindical, desde aquele infeliz comunicado de 25OUT do Sindicato dos Funcionários Judiciais (SFJ) sobre a desistência na luta por um verdadeiro descongelamento nas progressões, tanto aqui como nas redes sociais, com profundas manifestações de desagrado, acabaram por demover aquela postura inativa por uma postura de maior ação.

      Desde ontem, o SFJ já não considera o assunto das progressões uma inevitabilidade e, tal como o Sindicato dos Oficiais de Justiça (SOJ) fez, também solicitou reuniões com os grupos parlamentares, reivindicando agora que os anos congelados, já devem ser contados.

      Aquilo que há duas semanas atrás classificava de incoerência é agora “um efetivo direito” que deve ser reconhecido. Esta mudança representa uma evolução e, embora a mesma tenha surgido por forças externas, sempre se dirá que, para além da “água mole e da pedra dura”, também “mais vale tarde do que nunca”.

      Não há nenhum comunicado ou informação formal do SFJ, até ao momento do fecho deste artigo (o final do dia de 07NOV) mas há uma divulgação pública, subscrita pelo presidente daquele sindicato, publicada no Correio da Manhã a 06NOV que refere esta inversão na postura.

      Talvez uma informação, publicada na mesma página da anterior informação, anunciando esta inversão de postura não fosse má ideia; só mesmo anunciando, sem necessidade de justificação por dar o dito por não dito.

OJ-AtualizandoPorFavorEspere.jpg

      Fernando Jorge, no artigo do Correio da Manhã, diz assim:

      «O Orçamento do Estado (OE) para 2018 entra agora na discussão na especialidade. É nesta fase que podem (e devem) ser introduzidas alterações que, relativamente aos funcionários públicos, modifiquem a política de cortes nos vencimentos, dos últimos anos. Desde logo, com o descongelamento de progressões e promoções.

      O Governo e a proposta de OE já aprovada assumem essa decisão e certamente que os Oficiais de Justiça serão abrangidos. No entanto, atentas as especificidades da nossa carreira, importa definir as regras que se pretendem aplicar no referido descongelamento de progressões remuneratórias.»

      E continua assim:

      «A anunciada intenção de serem "apagados" mais de 9 anos do tempo de trabalho de cada um constitui uma decisão injusta e revela a falta de consideração e respeito por quem exerce a sua função com enorme dedicação e mesmo sacrifício.»

      Chama-se a isto incoerência ou coerência? E se for incoerência é com quê? Certamente que a incoerência é com o comunicado ou informação do passado dia 25OUT e se se classificar de coerência é por se verificar, por fim, que é uma atitude que está em linha com aquilo que deve ser a postura de um sindicato: a defesa intransigente dos seus representados.

      O mesmo artigo do Correio da Manhã, Fernando Jorge refere ainda que o Sindicato SFJ tem já agendadas reuniões “com os grupos parlamentares e com o Ministério da Justiça” e que, “para além de outras questões que afetam a classe e a Justiça, vamos exigir que a decisão seja revista e adotada uma solução que contemple o efetivo direito ao reconhecimento do tempo de serviço dos Oficiais de Justiça, mesmo admitindo o faseamento do pagamento”.

      Muito bem. Finalmente. Já não se trata da incoerência de reivindicar apenas os últimos anos para também aqueles anteriores, os tais da dita “coerência”, já não é uma meia-dúzia de anos nem sete anos sequer, são 9 anos os que agora se querem ver contados. Assim, toma lá e vai buscar. Agora tem que contar tudo e quanto àquela questão que o SFJ colocava: se isto “será realista, no atual contexto do País?”, passamos a contrapor, antes, se esta postura do SFJ será realista no atual contexto da atividade sindical? E a esta responde-se que, obviamente, sim! E ainda que, tal como aqui já se explicitou, não há incoerência nenhuma ao reivindicar agora a contagem para o descongelamento, ainda que o congelamento de 2005 a 2008 não tenha contado e a isso tenham os sindicatos então anuído, porque:

      1– Não se pode comparar uma primeira supressão com uma segunda. A segunda é excedentária, ocorre posteriormente à primeira, soma-se-lhe; acresce; afunda ainda mais. Se a primeira ainda pode ser suportável a segunda é já insuportável. Só o facto de ser segunda, só por si, já mostra uma dimensão que não permite comparação, por não ser única mas outra, uma a mais.

      2– Se num primeiro momento a supressão durou cerca de 3 anos, neste segundo momento, a supressão durou cerca de 7 anos, isto é, são dimensões distintas. Estaremos de acordo que 3 anos é um período mais breve que o seu dobro e 7 anos é isso mesmo, mais do dobro do tempo daquele primeiro momento.

      3– A comparação mostrava-se ainda incoerente porquanto estamos perante realidades muito diferentes. Hoje, em 2017, carregamos uma carga de cortes e de sacrifícios que em 2008 ainda não carregávamos. O desgaste que o arrastar do tempo provocou não é o mesmo. São momentos e realidades completamente diferentes e, também por isso, incomparáveis e essa falta de comparação não constitui qualquer tipo de falta de coerência, bem pelo contrário.

      Bem-vindo SFJ à atividade sindical!

      Pode aceder ao malogrado comunicado do “SFJ” através da hiperligação aqui incorporada.

      Pode aceder à inversão da postura manifestada no artigo do “Correio da Manhã”, através da hiperligação aqui incorporada.

FernandoJorgeSFJ.jpg

por: GF
oficialdejustica.blogs.sapo.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 08:08


12 comentários

De Anónimo a 08.11.2017 às 14:02

Realmente bem-vindo finalmente.

De Anónimo a 08.11.2017 às 15:06

Não por vontade própria, mas sim por imposição da cgtp, que levou o sfj ao grupo parlamentar do PCP, designando-o
de sindicato dos trabalhadores judiciais. Basta consultar a agenda do parlamento, para se perceber. Um sindicato que nunca teve rumo a não ser servir interesses pessoais e partidários, mas independente.

De oficialdejustica a 08.11.2017 às 23:27

De facto, está agendada reunião com o Grupo Parlamentar do PCP para o dia 09NOV, às 15H00, com o inexistente "Sindicato dos Trabalhadores Judiciais (STJ)" e às 16H00 com o existente Sindicato dos Oficiais de Justiça (SOJ).

Pode ver a agenda no seguinte endereço: http://app.parlamento.pt/BI2/Default.aspx#SEC20

De Anónimo a 09.11.2017 às 14:09

Já está marcada outra reunião com o SFJ, dia 14/11/2017 com o Grupo Parlamentar do PS,pelas 15:15 horas vidé agenda do Parlamento.

De Anónimo a 09.11.2017 às 14:22

Pelo menos já fazem reuniões.

De Anónimo a 09.11.2017 às 14:37

Esperemos que não seja para dizer ao PS que os oficiais de justiça são facilmente manipuláveis e para recolher os louros do notável trabalho feito contra os mesmos em defesa do governo.

De Anónimo a 10.11.2017 às 10:09

Nos moldes em que existe e foi formado, este sindicato não trouxe nada de bom para os OJ. Fê-los misturarem-se com outras classes, com clara perda de prestígio e respeito para os mesmos. Tudo pelo dinheirinho das quotas ao fim do mês.
Têem sido anos e anos a perder direitos, a perder força e respeitabilidade. Como se tudo tivesse que ser aceite com toda a normalidade.
O SFJ tem ao longo destes anos prejudicado - e muito - os OJ´s.
Repor a normalidade e a legitimidade da luta irá demorar muitos anos.

De Anónimo a 10.11.2017 às 10:57

Totalmente de acordo.

De Anónimo a 10.11.2017 às 12:06

Assino por baixo

De Anónimo a 10.11.2017 às 18:32

Gostaria de saber já agora como correram as reuniões de ontem com o PCP por parte dos dois sindicatos SFJ e OFJ. É que ninguém divulgou ainda nada.

De oficialdejustica a 10.11.2017 às 23:33

Gostaria de saber e todos gostaríamos de saber também, por isso mesmo, amanhã 11NOV, será publicado um artigo sobre o assunto e sobre aquilo que é possível saber neste momento.

De Anónimo a 11.11.2017 às 16:15

SFJ quem te viu e quem te vê....inevitavelmente que tristeza.

Comentar Artigo



BandeiraPT oficialdejustica.blogs.sapo.pt .................................................. PERMUTAS para Oficiais de Justiça (Lista de Permutas)
Veja os pedidos existentes e envie os seus para o e-mail dedicado:
PermutasOJ@sapo.pt
Consulte a lista aqui

saiba+aqui
.................................................. Histórias de Oficiais de Justiça (Compilação)
Envie histórias, peripécias, sustos, etc. para o e-mail dedicado:
HistoriasDeOficiaisDeJustica@sapo.pt

saiba+aqui

..................................................
Estatuto dos Oficiais de Justiça EOJ - Para assuntos relacionados com o Estatuto em apreciação use o e-mail dedicado:
Estatuto-EOJ@sapo.pt

veja+aqui
..................................................
Endereço Geral da página - Para assuntos diversos, use o endereço de e-mail geral:
OJ@Sapo.Pt

..................................................
Dúvidas sobre a Justiça?
Ligue para a Linha Justiça
(MJ) (chamada gratuita):
800 910 220
(das 9h às 19h nos dias úteis)
saiba+aqui e veja também o portal da Justiça em justiça.gov.pt
..................................................
Linha de Emergência Social:
Apoio da Segurança Social e do Ministério da Justiça:
144 (Linha Gratuita 24 h)
saiba+aqui
..................................................
Outras Linhas de Apoio:
800 209 899 - SOS Voz Amiga
(das 16h às 24h) (gratuita)
808 237 327 - Conversa Amiga
(das 15h às 22h) (gratuita)
239 484 020 - SOS Estudante
(das 20h à 1h)
222 080 707 - Telf. Esperança
(das 20h às 23h)
800 990 100 - SOS Pessoa Idosa
(das 10h às 17h) (gratuita)
..................................................

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Novembro 2017

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Para Contactar:

Para mensagens breves pode usar a caixa de mensagens abaixo (mensagens instantâneas) ou usar o endereço geral de e-mail: oj@sapo.pt para mensagens maiores, com imagens ou anexos ou se quiser uma resposta.

Mensagens Instantâneas

Na caixa de mensagens abaixo pode enviar qualquer tipo de mensagem de forma simples e rápida. Basta escrever, carregar no botão "Enviar" e já está. Estas mensagens são anónimas, não são públicas nem são publicadas. Como as mensagens são anónimas se quiser resposta indique o seu e-mail.

Mensagens

Subscrever para receber e-mail

Pode receber no seu e-mail cada artigo aqui publicado, para isso basta indicar o seu e-mail e depois ir lá confirmar a subscrição na mensagem que lhe será enviada. Simples, automático e recebendo cada artigo logo que publicado. .................................................

Escreva abaixo o seu endereço de e-mail:

Não esqueça ir depois ao seu e-mail confirmar a subscrição (se ocorrer avaria comunique).


Comentários

Pode comentar cada artigo e responder a comentários já existentes. Os comentários podem ser anónimos ou identificados e o conteúdo não é previamente (mas posteriormente) verificado.
Para comentar os artigos selecione "Comentar".
Os comentários são públicos. Para mensagens privadas use a caixa de mensagens ou o e-mail.
Os comentários ou respostas colocados pela administração da página surgem identificados como "oficialdejustica" e clicando no nome acede ao perfil da página. Não se identifique com nomes e de forma igual ou parecida com a referida designação.
Os comentários e as críticas não devem atingir pessoas mas apenas ideias. A discussão deve ser saudável, construtiva e digna. Serão eliminados os comentários que se julguem inadequados.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Caros colegas, tal supressão não é aceitável nem d...

  • Anónimo

    Estou-me pouco marimbando para o grau 3.Se daí não...

  • Anónimo

    Alguns não se entende o motivo da sua não colocaçã...

  • Anónimo

    Pelo menos conto 10 na disponibilidade.

  • Anónimo

    Como não há secretários supranumerários?! Logo na ...

  • Anónimo

    Secretários supranumerários não há, na disponibili...

  • Anónimo

    Um dos objectivos deste movimento é acabar com os ...

  • Anónimo

    Não existe qualquer instrumento jurídico (a não se...

  • Anónimo

    Pois tem razão, espero eu, eles vão ao procediment...

  • Anónimo

    As vagas não podem ser prejudicadas pelo secretári...

  • oficialdejustica

    Apesar de tudo, haverá alguns que conseguirão a co...

  • oficialdejustica

    Os lugares estão, hoje, de facto, vagos e apenas e...

  • Anónimo

    Realmente...

  • Anónimo

    Permita-me fazer uma correção: A declaração de vac...

  • Anónimo

    Desculpe discordar, se existem 60 vagas para promo...

  • oficialdejustica

    Ao abrigo do regime legal geral previsto no Estatu...

  • Anónimo

    Mas ao abrigo de que regime legal?

  • oficialdejustica

    Não há vaga que possa emergir mas há lugar que vai...

  • Anónimo

    Mas então as substituições em curso estão ao abrig...

  • oficialdejustica

    Não é ironia, é apenas uma adjetivação da sua anál...

  • Anónimo

    Mas ao abrigo de que regime legal? transferência? ...

  • Anónimo

    Obrigada pela breve resposta. Só não percebo o uso...

  • oficialdejustica

    Sim, Andreia, está luminosamente correta.

  • Anónimo

    Boa noite. Se me permite quero colocar uma questão...

  • oficialdejustica

    É possível concorrer para um lugar e manter a comi...




oficialdejustica.blogs.sapo.pt

Ligações

Ligações de INTERESSE:

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  •  
  • Ligações a LEGISLAÇÃO

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  • Em alguns casos, pode não ver todo o documento mas só a primeira página. Baixe o documento para o ver e ficar com ele na totalidade.

  •  
  • _______________________

  •  
  • Ligações a DOCUMENTOS

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  •  
  • Ligações dos TRIBUNAIS

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  •  
  • POR e PARA Oficiais de Justiça

  •  
  •  
  • ________________________


    Onde encontrar o Ofici@l de Justiç@?

    Os artigos aqui publicados são distribuídos por e-mail a quem os subscrever e são ainda publicados no Facebook, no Twitter e no "Blogs Portugal", ou seja, em 5 plataformas diferentes:

    1- Sapo (oficialdejustica)

    2- Facebook (OficiaisJustiçaPortugal)

    3- Twitter (OfJustica)

    4- Blogs Portugal

    5- Assinantes por "e-mail"






    Para além das outras possibilidades de comunicação, se pretender comunicar por e-mail, use o endereço abaixo indicado:

    OJ@SAPO.PT

    .......................................................................................................................