Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Oficial de Justiça

Bem-vindo/a ao DIÁRIO DIGITAL DOS OFICIAIS DE JUSTIÇA DE PORTUGAL publicação periódica independente com 8 anos de publicações diárias especialmente dirigidas aos Oficiais de Justiça



oficialdejustica.blogs.sapo.pt
DIÁRIO DIGITAL DOS OFICIAIS DE JUSTIÇA DE PORTUGAL (DD-OJ)
As publicações desta página podem ser encontradas diariamente em diversas plataformas:
oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt

...............................................................................................................................

Sexta-feira, 18.06.21

Mas o que é que aconteceu com o Plenário?

      O que é que aconteceu com o Plenário que deveria ocorrer no dia de hoje em Lisboa?

      Ocorreram uma série de vicissitudes?

      Para começar, temos o lapso da própria convocatória.

      O Sindicato dos Funcionários Judiciais (SFJ) confundiu a convocatória do Plenário com um aviso prévio de greve.

      Diz expressamente assim o nº. 2 do artigo 420º do Código do Trabalho: «No caso de reunião a realizar durante o horário de trabalho, a comissão de trabalhadores deve apresentar proposta que vise assegurar o funcionamento de serviços de natureza urgente e essencial.»

      Ou seja, é necessário apresentar o modo de assegurar o funcionamento de serviços de natureza urgente e essencial. Quer isto dizer que, ao contrário de uma greve, quando se trata de reunião de trabalhadores, o serviço de “natureza urgente e essencial” tem que ser assegurado durante a realização da reunião e não no dia seguinte. Se fosse uma greve seria diferente mas isto é uma reunião plenária que tem que obedecer ao que a Lei determina.

      O SFJ não indicou o modo de assegurar esse serviço urgente e, quando convidado a corrigir o lapso, alegou que não era necessário e que no dia seguinte era sábado, havia tribunais de turno e apresentou decisões de tribunais relativamente a greves mas não relativamente a reuniões de trabalhadores.

      Persistindo o Sindicato no erro, a DGAJ acabou indicando os serviços considerados “de natureza urgente e essencial” a ser assegurados e quem deveria assegurá-los. No entanto, consideramos que a DGAJ terá agido também de forma errada, uma vez que não tendo o Sindicato apresentando a comunicação nos termos legais, não deveria ter sido atendida, isto é, o erro e a persistência no erro do SFJ colocou em risco a realização do plenário de todos os Oficiais de Justiça.

      É grave tal erro, tanto mais que esta reunião plenária estava prevista há muito tempo; não foi algo decidido de forma súbita mas com tempo bastante para que se realizasse de forma correta, sem necessidade de correr algum risco, porque qualquer risco, qualquer coisa poderia colocar em perigo a manifestação ansiada pelos Oficiais de Justiça, aliás, como, por diferentes motivos, sucedeu.

      O citado preceito legal fixa os parâmetros necessários para a reunião de trabalhadores: é necessário comunicar com, pelo menos, 48 horas de antecedência, indicar a data e a hora da reunião, o número previsível de participantes, o local da reunião, afixar a respetiva convocatória e, por fim, apresentar ainda "proposta que vise assegurar o funcionamento de serviços de natureza urgente e essencial".

      Como vimos, quanto aos serviços de natureza urgente e essencial que devem ser assegurados durante a reunião, nada, e quanto à dita afixação ou divulgação da convocatória da reunião, igualmente nada. A convocatória não foi divulgada pelos trabalhadores visados com a reunião.

      A diretora-geral da DGAJ comunicava ao final da tarde de ontem aos tribunais nos seguintes termos:

      «O Sindicato dos Funcionários Judiciais (SFJ) remeteu convocatória a esta Direção-Geral da qual resulta que irá proceder à realização de um plenário geral de trabalhadores, com exceção dos que prestam serviços nas Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores, no próximo dia 18 de junho, entre as 9:30h e 16:30h, no Terreiro do Paço, em Lisboa.

      Nessa comunicação não foi apresentada uma proposta de funcionamento de serviços de natureza urgente e essencial, convocando para o efeito jurisprudência não aplicável a situações de realização de plenários.»

      Quem é que anda no SFJ a confundir plenários e greves e a confundir a jurisprudência, aliás, em desacordo com o que antes fazia corretamente?

      Prossegue a diretora-geral da DGAJ:

      «Em dissonância com o procedimento adotado em anteriores convocatórias para reuniões plenárias promovidas por esta estrutura sindical e do legalmente previsto.

      Apesar de convidado para o efeito, o SFJ não apresentou proposta que vise assegurar o funcionamento de serviços de natureza urgente e essencial.

      Resulta das disposições conjugadas no n.º 2 do artigo 420.º e n.º 1, alínea b) do 461º, ambas do Código do Trabalho, e artigo 241.º da Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas, que a possibilidade de realização de reuniões gerais de trabalhadores no local e durante o horário de trabalho está condicionada pela satisfação da exigência de que esteja assegurado o funcionamento de serviços de natureza urgente e essencial do empregador.

      Decorrendo a reunião em causa no período de trabalho para a generalidade dos oficiais de justiça, e não se confundindo uma reunião plenária com o direito à greve, impõem-se assegurar o funcionamento de serviços de natureza urgente e essencial.

      Ora, não tendo esta estrutura sindical designado, em tempo útil, os trabalhadores para assegurarem os serviços essenciais e urgentes, cabe ao empregador esse poder.»

      E conclui assim a diretora-geral:

      «Esta determinação não afasta a possibilidade de os Órgãos de Gestão das Comarcas, ou os Presidentes dos Tribunais da jurisdição administrativa e fiscal, considerarem existir serviços de natureza urgente e essencial que não se encontram abrangidos pela mesma, casos em que determinarão o que tiverem por conveniente.»

      O SFJ colocou-se nas mãos da Administração, desistindo das suas competências legais, entregando-se e disparatando na sua ação. Mas o assunto não acaba aqui.

CarasIntrigadasEspantadas=2.jpg

      Para além desta trapalhada, nunca antes vista noutras reuniões idênticas que este mesmo sindicato convocou, começaram a surgir reticências devido à chuva que se previa e ontem veio a notícia da decisão do Governo de restringir movimentações após as 15H00 horas de sexta e por todo o fim de semana, em Lisboa.

      Histericamente se pensou que os Oficiais de Justiça que acorreriam a Lisboa, desde vários pontos do país, entrariam em Lisboa de manhã mas, depois, às 15H00, ficariam aprisionados em Lisboa sem poder regressar aos seus domicílios.

      Este disparate, a ser assim, obrigaria todos os demais trabalhadores, dos tribunais e de todas as áreas profissionais, a abandonarem os seus postos de trabalho antes das 15 horas e a sair imediatamente da área metropolitana ou ficariam igualmente aprisionados até segunda-feira. Um perfeito disparate. Todos os Oficiais de Justiça poderiam perfeitamente sair porque estariam de regresso aos seus domicílios, aliás, tal como sempre sucedeu, mesmo durante os períodos de estado de emergência.

      No entanto, o SFJ anunciou o cancelamento do plenário, anunciando como motivo as restrições à mobilidade na Área Metropolitana de Lisboa.

      Na sua página do Facebook o SFJ dizia ontem assim:

      «O Governo (reunião do Conselho de Ministros de 17.06.2021) impôs restrições à mobilidade na Área Metropolitana de Lisboa. Em face da decisão supra mencionada apenas resta ao SFJ cancelar o plenário. Assim, fica sem efeito o plenário convocado para o dia de amanhã (18.06.2021), apenas por força da decisão proferida em Conselho de Ministros.»

      Ou seja, diz o SFJ que o único motivo do cancelamento é “apenas por força da decisão proferida em Conselho de Ministros”.

      A ser verdade que a decisão de cancelamento adveio “apenas” pelas medidas do Governo para o fim de semana, então concluiremos que se tratou de uma decisão em linha com os erros anteriormente apontados, constituindo mais um erro.

      No entanto, temos sérias dúvidas sobre a motivação do cancelamento, uma vez que nesse mesmo dia (ontem) não aconteceu apenas a reunião do Conselho de Ministros mas uma outra reunião.

      O Sindicato SFJ reuniu-se com o secretário de Estado e adjunto da Justiça, governante a quem se atribui a responsabilidade, ou irresponsabilidade, da autoria do projeto de Estatuto apresentado, reunião essa que vem na sequência das demais alegadas reuniões informais e tão profícuas que o mesmo secretário de Estado e adjunto da Justiça já havia recentemente valorizado.

      Embora nada diga o SFJ sobre as conclusões da reunião, referindo apenas as habituais reivindicações próprias, que já todos conhecem, a reunião deve ter sido proveitosa, pois numa publicação no Twitter, na conta do Ministério da Justiça, rapidamente foi revelado que existiu essa reunião, a sós, sem o outro sindicato, aquele que até abandona reuniões e aborrece o secretário de Estado, dizendo o Ministério da Justiça o seguinte:

      «O secretário de Estado e adjunto da Justiça, Mário Belo Morgado, reuniu hoje com uma delegação do Sindicato dos Funcionários Judiciais, tendo sido analisadas várias questões relacionadas com o respetivo estatuto socioprofissional.»

      Até parece que começaram as negociações, embora parciais, e talvez se quisesse passar essa imagem mas, depois desta reunião, foi o plenário cancelado.

Twitter-MJ-20210617.jpg

por: GF
oficialdejustica.blogs.sapo.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 08:08


76 comentários

De Anónimo a 18.06.2021 às 13:38

O que este Blog faz é informar das várias situações sejam elas de quem for.
Nós, Oficiais de Justiça, é fazemos a divisão, pois pelo que tenho estado a ver em muitos destes comentários, é a forma como se tem estado a perder tempo com coisas e coisinhas, contra este e contra aquele, quando o que estamos aqui a tratar é um ASSUNTO É MUITO IMPORTANTE, e diz respeito a todos nós, ao nosso futuro.

Devemos é canalizar todas as nossas energias, de forma positiva, para a resolução deste problema.

Efectivamente os SINDICATOS têm estado mal em várias situações. E NÓS? Quantas vezes temos estado mal? Pelo que se vê, temos estado muito mal e muitas vezes.

Este Blog serve para termos uma visão das várias partes e até para fazer os nossos comentários, mas não é só para aqui que se deve dar a nossa opinião.

Os Sindicatos têm estado mal mas nós precisamos deles pois eles são a nossa VOZ. Portanto é altura de enviarem todas as opiniões, comentários e o nosso desagrado para os Sindicatos, para haver um melhor diálogo sobre aquilo que se pretende e se pode fazer.

Toda esta questão sobre o Estatuto, se é que tem de ser por questões estruturais, não tem que ser de forma tão "fracturante".

Uma questão que está a incomodar e muito é quando referem que o Grau 3 tem de ser para todos os ACTUAIS Oficiais de Justiça. Quer dizer que para os futuros Oficiais de Justiça já não interessa que a carreira seja rebaixada????

Parece-me que a defesa da carreira tem de ser para o Presente e para o Futuro, como uma carreira que é o pilar da Justiça.

Erramos, mas temos que avançar, não podemos ficar presos nos erros do passado. Temos de ser positivos e pro-activos.

Deixem de colocar só questões negativas, apresentem ideias para resolver esses pontos negativos, de forma a fazer muita mossa e com menos custos para todos nós.

É altura de nos juntarmos todos, com todas as nossas energias, num único objectivo,
O NOSSO PRESENTE E FUTURO e também dos NOSSOS FILHOS.

Obrigado/a colegas de Santarém.












De Anónimo a 18.06.2021 às 14:39

Caramba, não são coisas e coisinhas.

São prejuízos atrás de prejuízos ao longo de décadas.

E ao que aparenta não fez uma semana de greve. Assim nos teríamos feito notar.

Ai teríamos, teríamos. .

De Anónimo a 18.06.2021 às 15:41

Fiz greve dos 5 dias e todas as outras quer de um como de outro sindicato.

De Anónimo a 18.06.2021 às 23:11

Duvido, com os serviços mínimos a greve já não resulta.

A última que resultou em 6 dias de supostas férias foi em 2004 ou 2005, a partir daí é só perder dinheiro

De Anónimo a 18.06.2021 às 14:35

Mais um excelente contributo prestado por este "blog" à comunidade Oficial de Justiça.


Assim fossem os sindicatos.

De Anónimo a 18.06.2021 às 14:41

Tenho impressão que aos autores do blog vou passar a enviar pelo Gmail o valor da quota atribuída até aqui ao sindicato.


Aos menos estou sempre informado.

De Anónimo a 18.06.2021 às 14:42

... e o trabalho é de qualidade.

De Anónimo a 18.06.2021 às 15:55

Excelente este Blogue!
Ainda bem que aqui podemos desabafar, dizer mal e resolver os nossos problemas!

De Anónimo a 18.06.2021 às 16:11

Suponho que disponibilizas melhores opções. Certo?

Fico a aguardar o link.

De Anónimo a 18.06.2021 às 16:15

Não. De maneira alguma!
Tal como disse, não há melhor alternativa.

De Anónimo a 18.06.2021 às 16:41

É por atitudes como esta que muito colega não adere a nenhuma iniciativa do sindicato.

Acordem, já ninguém de bom senso vos leva a sério!!!

De Anónimo a 18.06.2021 às 18:16

Já foi publicado neste blog.


Vai ser um grande "Golpe Palaciano"

De Anónimo a 18.06.2021 às 18:22

O conceito de burla passa pela entrega de um valor a um indivíduo ou entidade, na expetativa de que o mesmo, em troca faça ou entregue algo que corresponda às nossas expetativas.
Devem andar uns bons milhares por este país fora a sentirem-se burlados, nestes últimos dias.

De Anónimo a 18.06.2021 às 18:39

E bem burlados.

Já foi aqui dito, em 2018 o SOJ veio diz que a nossa classe ia ter 2 niveis, o 3 de Tec Superiores e o 2 dos Assistentes.

O meu sindicato SFJ veio logo desmentir, até mesmo presencialmente nos Tribunais da grande Lisboa, que era tudo mentira e que iamos todos para o nivel 3...... Como sou um gajo honesto, sincero, etc, acreditei, ou seja infelizmente acreditei.

Como já também disse, só me resta abandonar o meu sindicato e já passo dos 50 anos, sendo que a maioria desse sindicato anda nessa faixa de idades e 60s.

Espero que os sócios pensem em tudo o que aconteceu e o plenário de hoje foi outra aldrabice.

A meu ver o que sempre quisemos foram os 10% no ordenado e a idade da reforma, mais algumas arestas limadas no nosso estatuto especial.... agora vamos ver o que vai acontecer

De Anónimo a 18.06.2021 às 19:10

SFJ: Descansa em paz!

De Anónimo a 18.06.2021 às 22:30

SFJ, a crónica de uma morte anunciada.

De Anónimo a 18.06.2021 às 19:46

Gostava muito de saber quem escreveu este texto.

De Anónimo a 18.06.2021 às 22:42

Qual texto, existem tantos

De Anónimo a 18.06.2021 às 19:50

Disponibilidade permanente sem limite máximo de horas extraordinárias!

Compensação = 10% do vencimento?!...

Tempo normal de trabalho diário remunerado = 7 horas ou 420 minutos.

10% de 420 minutos = a 42 minutos diários.

Assim, a disponibilidade permanente, sem limites, apenas é compensada em 42 minutos diários!...

Uma esmola para os escravos!...


De Anónimo a 18.06.2021 às 22:51

Fácil se não gostas da profissão muda.... simples

De Anónimo a 19.06.2021 às 08:02

BEP é a solução.

De Anónimo a 19.06.2021 às 08:52

Foi uma nova forma de ver o subsídio. Nem para esmola serve.

De Anónimo a 18.06.2021 às 20:26

Diz o Marçal hoje à Lusa, frente ao ministério (hoje esteve presente, ontem não teve tempo...), que o ministério não reúne e não negoceia e insiste em falar em atas que nunca apresentou. Tenta agora esconder, ou ninguém o informou, que o SFJ reuniu ainda ontem com o SEAJ. Aliás, não fosse o SEAJ ter publicado a informação e talvez o SFJ nada publicasse. Agora apresenta uma greve sem qualquer sentido e um plenário, destituído de qualquer razão. Ainda sobre o plenário que foi adiado não se percebe a razão dele quando se sabe que as formas de luta futuras já estavam decididas. Bem, talvez até seja melhor irmos para o plenário com tudo já decidido, não vá a malta começar a fazer como da outra vez e a aprovar formas de luta sérias... Uma coisa percebi, comigo não contem para marioneta, seja em Santarém ou Mealhada (até seria melhor para o almoço).

De Anónimo a 18.06.2021 às 22:36

Ora aí está!


Atas. Onde andam elas?

E o "meio milhão" de euros por ano em quotas dos associados, onde pára?


É que não se vê obra, nem resultados.


P. s.

Talvez uma sindicancia resolva!

De Anónimo a 18.06.2021 às 20:30

Disponibilidade permanente paracer n 18/2020 :

https://dre.pt/home/-/dre/149417856/details/maximized

Comentar Artigo




BandeiraPT oficialdejustica.blogs.sapo.pt
.................................................. INICIATIVAS COMPLEMENTARES:
..................................................
PERMUTAS para Oficiais de Justiça (Lista de Permutas)
Veja os pedidos existentes e envie os seus para o e-mail dedicado:
PermutasOJ@sapo.pt
Consulte a lista aqui

saiba+aqui
..................................................
Legislação e Publicações Relevantes - Lista com seleção diária de legislação e outras publicações relevantes em Diário da República e noutras fontes.
Consulte a lista aqui
saiba+aqui
..................................................
MEDIDAS e Sugestões de Proteção Prática para Oficiais de Justiça
Veja a compilação de sugestões recebidas até ao momento e envie o seu contributo para o e-mail:
OJ@sapo.pt
Consulte a lista aqui

..................................................
Lista de Alojamentos
Anúncios de Procura e de Oferta de alojamentos para Oficiais de Justiça. Contacte pelo e-mail dedicado:
ProcuraAlojamento@sapo.pt
Consulte a lista aqui

saiba+aqui
..................................................
Grupo WhatsApp para Oficiais de Justiça
A comunicação direta de, para e com todos.
Saiba+Aqui

..................................................
Lista de Anúncios para Partilha de Carro
Boleias e partilhas de lugares nos carros, sejam diárias, aos fins-de-semana, para férias ou ocasionais, anuncie a disponibilidade e contacte pelo e-mail dedicado:
PartilhaDeCarro@sapo.pt
Consulte a lista aqui

saiba+aqui
..................................................
Estatuto dos Oficiais de Justiça EOJ - Para assuntos relacionados com o Estatuto em apreciação use o e-mail dedicado:
Estatuto-EOJ@sapo.pt

veja+aqui
..................................................
Histórias de Oficiais de Justiça (Compilação)
Envie histórias, peripécias, sustos, etc. para o e-mail dedicado:
HistoriasDeOficiaisDeJustica@sapo.pt

saiba+aqui

..................................................
Acordos & Descontos para Todos - Lista de descontos para Oficiais de Justiça oferecidos por empresas privadas.
Consulte a lista aqui
saiba+aqui

..................................................

..................................................
Endereço Geral da página - Para assuntos diversos, use o endereço de e-mail geral:
OJ@Sapo.Pt

..................................................
Veja por aqui + informação sobre o Perfil / Autoria da página
+
Veja também por aqui o Estatuto Editorial e a Direção desta publicação
..................................................
Dúvidas sobre a Justiça?
Ligue para a Linha Justiça
(MJ) (chamada gratuita):
800 910 220
(das 9h às 19h nos dias úteis)
saiba+aqui e veja também o portal da Justiça em justiça.gov.pt
..................................................
Linha de Emergência Social:
Apoio da Segurança Social e do Ministério da Justiça:
144 (Linha Gratuita 24 h)
saiba+aqui
Linha da Segurança Social:
300 502 502 (das 09h às 18h)
..................................................
Outras Linhas de Apoio:
808 24 24 24 - SNS 24 / Saúde 24
(custo de chamada local)
800 209 899 - SOS Voz Amiga
(das 16h às 24h) (gratuita)
808 237 327 - Conversa Amiga
(das 15h às 22h) (gratuita)
239 484 020 - SOS Estudante
(das 20h à 1h)
222 080 707 - Telf. Esperança
(das 20h às 23h)
800 990 100 - SOS Pessoa Idosa
(das 10h às 17h) (gratuita)
..................................................

Meteorologia

Porto
Lisboa
Faro

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Junho 2021

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D

Para Contactar:

Para mensagens breves pode usar a caixa de mensagens abaixo (mensagens instantâneas) ou usar o endereço geral de e-mail: oj@sapo.pt para mensagens maiores, com imagens ou anexos ou se quiser uma resposta.

Mensagens Instantâneas

Na caixa de mensagens abaixo pode enviar qualquer tipo de mensagem de forma simples e rápida. Basta escrever, carregar no botão "Enviar" e já está. Estas mensagens são anónimas, não são públicas nem são publicadas. Como as mensagens são anónimas se quiser resposta indique o seu e-mail.

Mensagens

Comentários

Pode comentar cada artigo e responder a comentários já existentes. Os comentários podem ser anónimos ou identificados e o conteúdo não é previamente (mas posteriormente) verificado.
Para comentar os artigos selecione "Comentar".
Os comentários são públicos. Para mensagens privadas use a caixa de mensagens ou o e-mail.
Os comentários ou respostas colocados pela administração da página surgem identificados como "oficialdejustica" e clicando no nome acede ao perfil da página. Não se identifique com nomes e de forma igual ou parecida com a referida designação.
Os comentários e as críticas não devem atingir pessoas mas apenas ideias. A discussão deve ser saudável, construtiva e digna. Serão eliminados os comentários que se julguem inadequados.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Muito bem, apoiado a 100%. Força, foco e fé.

  • Anónimo

    Digo "despudorado"

  • Anónimo

    Muito bem, haja vontade dos nossos representantes ...

  • Anónimo

    À greve de 1999 nunca poderão ser aplicados serviç...

  • Anónimo

    Nunca vi nada igual a isto!SFj, SOJ e todos os Ofi...

  • Anónimo

    Como o aqui disse há dois ou três dias, greves em...

  • Jota Man

    Para ajudar vai uma ideia, em vez de T-Shirt vão d...

  • Anónimo

    Isso é que era. Dr. Garcia Pereira, sem dó nem pi...

  • Anónimo

    Acerca da greve de 99, ainda não consegui perceber...

  • Jota Man

    Ninguém aceita ou sequer acredita que sindicatos d...

  • Anónimo

    SFJ, mais do mesmo, não sabem e não querem ou, não...

  • Anónimo

    Todos nós sabemos que este sindicato forte, se tor...

  • Anónimo

    Deixem as sondagens e contratem os Sindicatos o Dr...

  • Anónimo

    Apoiado.

  • Anónimo

  • Anónimo

    O Sindicato dos Funcionários Judiciais emitiu hoje...

  • Jota Man

    -podem fora do horário de trabalho, ausentar-se, s...

  • Anónimo

    Parabéns ao blog que, de uma forma construtiva, ...

  • Anónimo

    Pois se o Soj é um sindicato Unipessoal, o Sfj cer...

  • Anónimo

    Parabéns ao blog que, de uma forma construtiva, ...

  • Anónimo

    Alguém que consiga explicar como é que uma decisão...

  • Anónimo

    Nos termos no disposto no artigo 22.º da CRP, “O...

  • Jota Man

    Concordo plenamente, mas porque não foi o sindicat...

  • Anónimo

    Os sindicatos deviam fazer uma participação ao CSM...

  • Anónimo

    A autoridade do caso julgado, na sua vertente posi...




oficialdejustica.blogs.sapo.pt

Ligações

Ligações de INTERESSE:

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  •  
  • Ligações a LEGISLAÇÃO

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  • Em alguns casos, pode não ver todo o documento mas só a primeira página. Baixe o documento para o ver e ficar com ele na totalidade.

  •  
  • _______________________

  •  
  • Ligações a DOCUMENTOS

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  •  
  • Ligações dos TRIBUNAIS

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  •  
  • POR e PARA Oficiais de Justiça

  •  
  •  
  • ________________________


    Onde encontrar o Ofici@l de Justiç@?

    Os artigos aqui publicados são distribuídos por e-mail a quem os subscrever e são ainda publicados no Facebook, no Twitter, no "Blogs Portugal", no "Reddit" e no WhatsApp, ou seja, em 7 plataformas diferentes:

    1- Sapo (oficialdejustica)

    2- Facebook (OficiaisJustiçaPortugal)

    3- Twitter (OfJustica)

    4- Blogs Portugal

    5- Reddit (OficialJustica)

    6- WhatsApp

    7- Assinantes por "e-mail"





    Para além das outras possibilidades de comunicação, se pretender comunicar por e-mail, use o endereço abaixo indicado:

    OJ@SAPO.PT

    .......................................................................................................................