Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Oficial de Justiça

Esta página é uma iniciativa informativa DIÁRIA especialmente vocacionada para Oficiais de Justiça. De forma independente da administração da justiça e dos sindicatos, aqui se disponibiliza a informação relevante com um novo artigo todos os dias.



Pode ouvir por aqui rádio com música alternativa não massiva e sem publicidade
oficialdejustica.blogs.sapo.pt
PERMUTAS PARA OFICIAIS DE JUSTIÇA
Veja as últimas alterações na Lista de Permutas. Confira se lhe interessam os pedidos existentes (já lá foram colocados bem mais de uma centena de anúncios) e envie o seu, caso esteja interessado nesta forma de mobilidade alternativa. Mesmo que ainda não esteja em condições para usar esta faculdade, sempre pode estabelecer contacto e ir combinando. Seja qual for a sua categoria ou carreira, divulgue o seu pedido e espere para ver se a alguém interessa.
Todos os contactos são realizados através do e-mail dedicado:
PermutasOJ@sapo.pt

Consulte a Lista dos Pedidos através do “botão” que encontra no cabeçalho desta página, com a designação de: “PERMUTAS”, aí encontrando também alguns esclarecimentos sobre esta modalidade alternativa às movimentações ordinárias ou extraordinárias, destacamentos, recolocações…
NOVIDADES E ÚLTIMAS ALTERAÇÕES OCORRIDAS POR ESTES DIAS:
# 50 - Pedido concluído.
# 122 - Alterado o local de colocação de Águeda para Aveiro; pretendendo Coimbra.
# 128 - Pedido Concluído.
# 134 - Registado Pedido de Lisboa para Aveiro, Coimbra ou Porto.
# 135 - Registado Pedido de Lisboa para Caldas da Rainha.
# 136 - Registado Pedido de Cascais para Lisboa, Almada ou Seixal.
# 137 - Registado Pedido de Loures para o Norte.
Os Pedidos colocados neste mês de setembro correspondem a pessoas colocadas no Porto, Setúbal, Penafiel, Alenquer, Beja, Felgueiras, Lisboa (Campus), Cascais e Loures.
saiba+aqui

Oficial de Justiça Últimas Publicações:

Domingo, 04.02.18

Nasceu o Movimento da Mudança G3D

      Nos últimos 15 dias abordamos sistematicamente, todos os dias, a greve dos 3 dias decretada pelo Sindicato dos Oficiais de Justiça (SOJ). Foram 15 dias consecutivos em que não se abordou mais nenhum assunto a não ser esse. E porquê tal opção? Porque se considerou que essa greve era um momento único muito importante para os Oficiais de Justiça manifestarem o seu desagrado com este estado de coisas e com a inatividade ou a insuficiência da atividade levada a cabo pelos sindicatos, especialmente por aquele que é (ou era até esta greve) maioritário, mais antigo e que a todos parece mais alinhado com o Governo: o Sindicato dos Funcionários Judiciais (SFJ).

      Durante 15 dias consecutivos abordamos muitos e quase todos os aspetos relacionados com a greve, sob diferentes perspetivas mas nunca consideramos incentivar os Oficiais de Justiça a que não manifestassem o seu desagrado e se mantivessem impávidos e serenos como em múltiplas reuniões pelo país foi solicitado.

      Esta greve acabou por se transformar num momento de libertação dos Oficiais de Justiça, libertação de muitos anos de inatividade e de subserviência. Foi lindo de se ver como os Oficiais de Justiça tomaram a greve como sua e tomaram as iniciativas que julgaram mais adequadas em cada local.

      Independentemente dos resultados, este foi um momento que muitos Oficiais de Justiça há tanto tempo ansiavam e que dificilmente podia continuar a ser adiado. Esteve bem o SOJ ao compreender o momento e ao assumir o risco de decretar uma greve que não foi de um triste dia nem numa sexta-feira. Foi um sindicato ousado e corajoso e que acedeu àquilo que tantos reclamavam. Foi ponderado e não decretou os cinco dias que se reclamavam nas redes sociais mas uns equilibrados três dias, divididos por dois meses para dividir o impacto financeiro. Esteve, pois, à altura dos seus representados e em sentido completamente oposto à atitude do outro sindicato que não cuidou de ponderar os compromissos com os seus representados mas cuidou de salvaguardar o eventual melindre das entidades governativas.

      O SFJ, ao ter optado pela salvaguarda do melindre das entidades administrativas governativas em vez de optar pela salvaguarda dos interesses dos seus representados, iniciando mesmo uma inédita campanha a nível nacional contra tais interesses e em defesa do tal melindre, acabou por ofender os Oficiais de Justiça que acabaram por reagir mal, tendo muitos apresentando a sua desvinculação daquele sindicato.

      É uma pena assistir ao desmoronamento de um sindicato por causa das más opções de uma direção. Os Oficiais de Justiça precisam de sindicatos fortes, interventivos e com total apoio dos Oficiais de Justiça e isto é o que os Oficiais de Justiça precisam e nada mais como, por exemplo, direções inamovíveis, perpétuas e que teimam em seguir um seu caminho sem prestar atenção aos demais.

      Os sindicatos fazem falta aos Oficiais de Justiça e vice-versa, por isso, não deixa de ser triste assistir à debandada de associados por um acumular de inapropriadas decisões de uma direção, tal como não deixa de ser triste assistir ao descrédito que aquela entidade sindical ganhou no seio dos Oficiais de Justiça, com exceção, óbvia, daqueles que seguem escrupulosamente os ditames centrais, sem desvios e sem oportunidade de discordar.

      Trata-se, pois, de uma perda que, embora seja compreensível, óbvia e inevitável, não deixa de ser uma perda e não uma perda apenas para o próprio sindicato mas uma perda também na credibilidade das pessoas nos sindicatos. Esta perda de credibilidade é um facto, e é um facto que se arrasta há anos e está já inevitavelmente entranhada em todos quantos aderiram à greve, pondo assim em causa o futuro da estrutura sindical.

      Os resultados desta greve são três: 1º. A perda de filiados no SFJ; 2º. A adesão de novos filiados no SOJ e 3º. O nascimento de uma nova e terceira via de Oficiais de Justiça que, nas redes sociais, clamam agora por uma organização nova, independente e diferente dos sindicatos, uma coisa que querem própria, que não querem que seja um novo sindicato, mas que seja um ponto de encontro e de reunião dos Oficiais de Justiça que nesta greve tomaram a iniciativa de se organizar nas concentrações e nas intervenções no Facebook.

      Estamos a assistir ao nascimento de algo novo oriundo do Facebook? De momento, tudo leva a crer que sim, falta ver se essa rede de contactos informais se transforma em algo formal como até já consta de um “manifesto” apresentado o Facebook e ao qual pode aqui aceder.

      De todos modos, há que atentar num aspeto muito importante que convém ter presente: Esta greve dos três dias não surgiu por qualquer espontaneidade dos Oficiais de Justiça; não foi uma greve espontânea, foi uma greve uma greve marcada pelo Sindicato dos Oficias de Justiça (SOJ) e ela muitos aderiram de forma livre e espontânea, tendo tido ainda a espontaneidade de decidir levar a cabo outras iniciativas, como as concentrações nas entradas dos edifícios ou junto ao Ministério da Justiça. Isto é, a espontaneidade nasceu e pôde se desenvolver nessa liberdade de decisão porque houve uma estrutura sindical que o permitiu enquanto outra não o queria permitir.

      Quer isto dizer o seguinte: O desencanto havido com uma estrutura sindical não pode ser generalizado; as ações encetadas por uma ou por outra entidade não são comparáveis, porque são entidades de dimensão diferente, pelo que a iniciativa nascida no Facebook poderá ser semente que não vingue, apenas por falta de apoio de uma estrutura mínima organizativa, isto é, poderá ficar circunscrita a muitos “gostos” no Facebook mas sem transposição para a realidade.

      Assim, tendo em conta que essa digna e nova iniciativa não deve ser perdida, correndo o risco de, assim sozinha, se perder, poderia ser solução a colagem e a interpelação deste sindicato que proporcionou este momento de libertação, no sentido de, em conjunto, ser dada continuidade a este movimento novo e fresco, rebelde e ótimo que deve e só pode continuar. E é precisamente para poder continuar e porque é uma entidade que pode levar as reivindicações à mesa negocial com o Governo, como aliás já faz; mesa negocial a que mais ninguém acederá a não ser os sindicatos, que se crê oportuno que a saudável utopia pragmatize agora a sua intervenção junto do sindicato que proporcionou o nascimento deste movimento.

      Nesta página, todos encontrarão também e sempre o apoio necessário na difusão da mensagem e das iniciativas encetadas que brotem deste movimento, o movimento da greve dos três dias; o ora chamado “Movimento G3D” mas a difusão das ideias não é o mesmo que ir à mesa negocial do Governo, pelo que sejam elas aqui difundidas ou nas redes sociais, não surtirão nenhum efeito se não forem efetivamente apresentadas pelas entidades com assento na mesa negocial com o Governo e essas entidades são duas apenas e não haverá mais nenhuma: é o SFJ e é o SOJ e, por isso, é com estas entidades que há que intervir. Agora é só escolher qual delas a mais idónea ou, em alternativa, criar de raiz uma nova entidade sindical mas formalizá-la mesmo e depressa, pois só assim poderia também vir a ter assento na mesa negocial.

Greve3Dias(31JAN2018)=PRT6-Ampl2.jpg

por: GF
oficialdejustica.blogs.sapo.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 08:04



BandeiraPT oficialdejustica.blogs.sapo.pt .................................................. PERMUTAS para Oficiais de Justiça (Lista de Permutas)
Veja os pedidos existentes e envie os seus para o e-mail dedicado:
PermutasOJ@sapo.pt
Consulte a lista aqui

saiba+aqui
.................................................. Histórias de Oficiais de Justiça (Compilação)
Envie histórias, peripécias, sustos, etc. para o e-mail dedicado:
HistoriasDeOficiaisDeJustica@sapo.pt

saiba+aqui

..................................................
Estatuto dos Oficiais de Justiça EOJ - Para assuntos relacionados com o Estatuto em apreciação use o e-mail dedicado:
Estatuto-EOJ@sapo.pt

veja+aqui
..................................................
Endereço Geral da página - Para assuntos diversos, use o endereço de e-mail geral:
OJ@Sapo.Pt

..................................................
Dúvidas sobre a Justiça?
Ligue para a Linha Justiça
(MJ) (chamada gratuita):
800 910 220
(das 9h às 19h nos dias úteis)
saiba+aqui e veja também o portal da Justiça em justiça.gov.pt
..................................................
Linha de Emergência Social:
Apoio da Segurança Social e do Ministério da Justiça:
144 (Linha Gratuita 24 h)
saiba+aqui
Linha da Segurança Social:
300 502 502 (das 09h às 18h)
..................................................
Outras Linhas de Apoio:
800 209 899 - SOS Voz Amiga
(das 16h às 24h) (gratuita)
808 237 327 - Conversa Amiga
(das 15h às 22h) (gratuita)
239 484 020 - SOS Estudante
(das 20h à 1h)
222 080 707 - Telf. Esperança
(das 20h às 23h)
800 990 100 - SOS Pessoa Idosa
(das 10h às 17h) (gratuita)
..................................................

Meteorologia

Porto
Lisboa
Faro

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Fevereiro 2018

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Para Contactar:

Para mensagens breves pode usar a caixa de mensagens abaixo (mensagens instantâneas) ou usar o endereço geral de e-mail: oj@sapo.pt para mensagens maiores, com imagens ou anexos ou se quiser uma resposta.

Mensagens Instantâneas

Na caixa de mensagens abaixo pode enviar qualquer tipo de mensagem de forma simples e rápida. Basta escrever, carregar no botão "Enviar" e já está. Estas mensagens são anónimas, não são públicas nem são publicadas. Como as mensagens são anónimas se quiser resposta indique o seu e-mail.

Mensagens

Subscrever para receber e-mail

Pode receber no seu e-mail cada artigo aqui publicado, para isso basta indicar o seu e-mail e depois ir lá confirmar a subscrição na mensagem que lhe será enviada. Simples, automático e recebendo cada artigo logo que publicado. .................................................

Escreva abaixo o seu endereço de e-mail:

Não esqueça ir depois ao seu e-mail confirmar a subscrição (se ocorrer avaria comunique).


Comentários

Pode comentar cada artigo e responder a comentários já existentes. Os comentários podem ser anónimos ou identificados e o conteúdo não é previamente (mas posteriormente) verificado.
Para comentar os artigos selecione "Comentar".
Os comentários são públicos. Para mensagens privadas use a caixa de mensagens ou o e-mail.
Os comentários ou respostas colocados pela administração da página surgem identificados como "oficialdejustica" e clicando no nome acede ao perfil da página. Não se identifique com nomes e de forma igual ou parecida com a referida designação.
Os comentários e as críticas não devem atingir pessoas mas apenas ideias. A discussão deve ser saudável, construtiva e digna. Serão eliminados os comentários que se julguem inadequados.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Não é nenhum dado novo, mas o certo é que uma boa ...

  • Anónimo

    Concordamos inteiramente. As nomeações interinas p...

  • Anónimo

    Mas que raio é que uma decisão sobre nomeações int...

  • Anónimo

    na s páginas amarelas também se publicam moradas.....

  • Anónimo

    http://www.cada.pt/uploads/Pareceres/2018/314.pdf

  • Anónimo

    mas publica-se assim moradas das pessoas?

  • Anónimo

    Esta estória já ouvi aqui nos Tribunais do Brasil

  • Yuri Knoll

    Não precisamos nem de Gulag, nem de Guilhotina ......

  • Anónimo

    A reforma Cardona.

  • Anónimo

    http://www.dgsi.pt/jtcn.nsf/-/5E08C05F4CF5AB048025...

  • Anónimo

    Como vivo do trabalho, e não ando a enganar ningué...

  • Anónimo

    Alguém sabe se há intenção de abrir novo concurso ...

  • Anónimo

    Pois eu revejo-me; o MP não é só o que dá na telev...

  • Anónimo

    Não me revejo neste texto.O stablishment tremeu e ...

  • Anónimo

    Obrigado.

  • oficialdejustica

    Nenhuma perspectiva neste momento.

  • Anónimo

    Alguma perspectiva para abertura de concurso de in...

  • Anónimo

    https://www.youtube.com/watch?v=JI4loQwmne0

  • Anónimo

    No requerimento de abertura de instrução entregue ...

  • Anónimo

    Foi uma investigação rápida. Em menos de um ano, o...

  • Anónimo

    A participação de procuradores e juízes em órgãos ...

  • Anónimo

    “Os fãs têm de perceber que com cada bilhete, cada...

  • Anónimo

    Gosto.

  • Anónimo

    E o estado do estatuto dos oficiais de justiça?

  • Anónimo

    esta é uma área nevrálgica numa democracia represe...




oficialdejustica.blogs.sapo.pt

Ligações

Ligações de INTERESSE:

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  •  
  • Ligações a LEGISLAÇÃO

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  • Em alguns casos, pode não ver todo o documento mas só a primeira página. Baixe o documento para o ver e ficar com ele na totalidade.

  •  
  • _______________________

  •  
  • Ligações a DOCUMENTOS

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  •  
  • Ligações dos TRIBUNAIS

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  •  
  • POR e PARA Oficiais de Justiça

  •  
  •  
  • ________________________


    Onde encontrar o Ofici@l de Justiç@?

    Os artigos aqui publicados são distribuídos por e-mail a quem os subscrever e são ainda publicados no Facebook, no Twitter, no "Blogs Portugal", no "Reddit" e no "Google+", ou seja, em 7 plataformas diferentes:

    1- Sapo (oficialdejustica)

    2- Facebook (OficiaisJustiçaPortugal)

    3- Twitter (OfJustica)

    4- Blogs Portugal

    5- Reddit (OficialJustica)

    6- Google+

    7- Assinantes por "e-mail"






    Para além das outras possibilidades de comunicação, se pretender comunicar por e-mail, use o endereço abaixo indicado:

    OJ@SAPO.PT

    .......................................................................................................................