Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Oficial de Justiça

Bem-vindo/a ao DIÁRIO DIGITAL DOS OFICIAIS DE JUSTIÇA DE PORTUGAL publicação periódica independente com 8 anos de publicações diárias especialmente dirigidas aos Oficiais de Justiça



oficialdejustica.blogs.sapo.pt
DIÁRIO DIGITAL DOS OFICIAIS DE JUSTIÇA DE PORTUGAL (DD-OJ)
As publicações desta página podem ser encontradas diariamente em diversas plataformas:
oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt oficialdejustica.blogs.sapo.pt
Bem-vindo(a) à página do Diário Digital dos Oficiais de Justiça de Portugal. Aqui encontra todos os dias informação com interesse geral para o mundo da Justiça e em particular para os Oficiais de Justiça. Desfrute!
...............................................................................................................................
FERIADOS MUNICIPAIS NESTA SEMANA:
- 23NOV-Ter - Gavião.
- 24NOV-Qua - Entroncamento e Sines.
- 27NOV-Sab - Guarda.
& pode ver + nos Calendários do Oficial de Justiça para 2021 e também para 2022
...............................................................................................................................


Quarta-feira, 27.10.21

Um Ministério da Justiça em Fim de Linha

      Não é nada de novo saber-se que o atual secretário de Estado adjunto e da Justiça, Mário Belo Morgado, tem um especial cuidado com as reivindicações do Ministério Público, desprestigiando-as.

      Como todos os Oficiais de Justiça bem sabem, o projeto de Estatuto apresentado por este secretário de Estado, suprimiu a carreira dos Oficiais de Justiça no Ministério Público.

      Há, por parte deste secretário de Estado, logo, do Ministério da Justiça, portanto, do Governo, uma clara intenção de desprestigiar as funções do Ministério Público. Note-se bem que este secretário de Estado vem produzindo afirmações nesse sentido, de forma constante, sem que a ministra da Justiça ou o primeiro-ministro o contrariem, portanto, concordando com a sua postura, que vem sendo divulgada nas redes sociais, no Facebook e no Twitter.

      Para os mais distraídos, vem isto a propósito das declarações do diretor do DCIAP (Departamento Central de Investigação e Ação penal) que se queixou de falta de meios.

      «Só este ano de 2021, o valor para a suspensão de operações bancárias já chegou a 570 milhões de euros». O valor foi apontado por Albano Pinto, diretor do DCIAP, numa conferência à porta fechada. «Isto tudo sem meios. Imaginem se tivéssemos meios», acrescentou.

      «São precisos peritos económicos, financeiros e informáticos para melhorarmos ainda mais o nosso trabalho.»

      Durante a intervenção de Albano Pinto, a falta de meios do órgão do Ministério Público que investiga o branqueamento de capitais foi a tecla mais tocada. Outra queixa foi a ausência de investimento naquele departamento através do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

      «Sempre lutei por meios para fazer o meu trabalho durante a minha carreira de 40 anos. Se não fosse a Autoridade Tributária, não teríamos conseguido organizar este evento simplesmente porque o DCIAP não tem meios», sublinhou Albano Pinto.

      As referências à Autoridade Tributária, e à importância que tem tido no trabalho desenvolvido pelo DCIAP, não ficaram por aqui: “Não tenho tantas oportunidades para falar como esta para salientar precisamente isso: a minha falta de meios. Outros exemplos têm a ver diretamente com as investigações que o DCIAP efetua. Se não fosse a Autoridade Tributária, algumas dessas investigações não seriam possíveis por falta de meios do DCIAP.”

      E insistiu: “O DCIAP não tem meios: não tem pessoas para trabalhar na área informática e não tem peritos económicos, financeiros e de outras áreas. Existe há 20 anos e nem instalações tem.”

      Perante estas declarações, o secretário de Estado Adjunto e da Justiça, escreveu assim na sua página do Facebook:

      «Em linha com os habituais queixumes de setores sindicais e de responsáveis por estruturas redundantes que consomem muitos recursos e (no seu conjunto) produzem insuficientemente, diz o diretor do DCIAP que precisa de mais “peritos económicos, financeiros e informáticos”.

      Não discuto que é necessário agilizar e melhorar o acesso das estruturas de investigação criminal aos vários tipos de perícias. Mas vamos lá assentar num ponto incontornável: o nosso sistema legal não prevê um modelo de MP megalómano e hipertrofiado, a desempenhar as funções que cabem aos órgãos de polícia criminal (OPC).

      Os procuradores dirigem o inquérito criminal mas não são – nem é suposto que sejam – polícias. Ao MP o que é do MP; e aos OPC o que é dos OPC… É isto, e apenas isto, que está em jogo e subjacente ao permanente frenesim mediático de certas figuras.»

      Em reação, Adão Carvalho, presidente do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público (SMMP), na revista Visão, escrevia assim:

      «Não é minimamente credível que exista vontade governativa de combater a corrupção mantendo como secretário de estado alguém que faz afirmações desta natureza e que não respeita a autonomia do Ministério Público.

      Mais, referir-se à reivindicação de meios, como queixumes sindicais, demonstra um total alheamento e indiferença do referido governante das carências ao nível da investigação criminal e que têm sido veiculadas desde há vários anos não só pelas estruturas sindicais, como pelos mais altos dirigentes do Ministério Público e da Polícia Judiciária e um desrespeito por todos aqueles que têm dado tudo, muitas vezes para além do limite das suas forças, para num quadro inequívoco de insuficiência de meios, ainda assim, conseguirem resultados.

      De acordo com a Constituição da República Portuguesa e o Código de Processo Penal é ao Ministério Público, enquanto magistratura autónoma, a quem compete o exercício da ação penal e a direção efetiva do inquérito, e não aos órgãos de polícia criminal.

      Questionar a legitimidade do Ministério Público para realizar diligências de investigação, diretamente ou assistido pelos órgãos de polícia criminal, é demonstrar uma total ignorância pelo nosso sistema processual penal, manifestamente incompatível com alguém que exerce funções governativas no Ministério da Justiça.

      Revela ainda uma vontade de limitar a atuação do Ministério Público a uma mera direção formal do inquérito, reduzindo os magistrados a meros carimbadores daquilo que é feito pelas polícias, para dessa forma controlar a investigação criminal, atribuindo-a aos órgãos de polícia criminal que dependem diretamente do Governo e, assim, poderem decidir, quem e, o que deve ser investigado.

      Esta postura só nos pode fazer concluir que a estratégia de combate à corrupção apresentada pelo governo não passa de um logro, de uma manobra ilusória, sem que efetivamente exista uma vontade política de a tornar exequível.

      Não é de augurar grande futuro à estratégia em causa enquanto o Governo mantiver à frente do Ministério da Justiça pessoas com esta linha de pensamento e que só pode ser motivada por interesses bem diversos da luta contra a corrupção.»

      Manuel Soares, juiz e presidente da direção da Associação Sindical dos Juízes Portugueses (ASJP), também no Facebook, mostrou o seu desagrado pelas declarações do secretário de Estado, dizendo: “Se a estrutura redundante é o DCIAP e a certa figura o seu diretor, não acho aceitável, seja sob que prisma for, que um governante responsável na área da Justiça se refira assim a instituições e pessoas”.

      No jornal “Inevitável”, Vítor Rainho escrevia assim:

      «Que país é este onde até os governantes vão mandar umas bocarras para o Facebook como se estivessem numa tasca cheia de serradura no chão? Alguns secretários de Estado deste Governo já perderam a noção de dignidade? Galambas, Morgados e afins só dizem o que querem nas redes sociais porque têm a rede do primeiro-ministro por baixo. Lamentável.»

      Depois das ditas “bocarras para o Facebook”, no dia seguinte, tentando emendar, o ainda secretário de Estado adjunto e da Justiça, voltaria ao Facebook, dizendo que o que disse sobre as estruturas redundantes não se referia ao DCIAP mas a outras estruturas, as intermédias.

      «Na arquitetura das organizações rege um princípio fundamental: os níveis/patamares hierárquicos, organizativos e de funcionamento devem ser reduzidos ao máximo, em especial num país com a dimensão do nosso. Desta forma, evitando-se redundâncias (ou seja, sobreposições), maximiza-se a eficácia e a eficiência e minimiza-se o desperdício ou subutilização dos recursos.

      Para quem quis ler na minha anterior publicação que o DCIAP (que é um departamento central/nacional cuja razão de ser é indiscutível) seria uma estrutura redundante, explicita-se que, naturalmente, é nos patamares intermédios que deteto as redundâncias.

      Fora do âmbito da investigação criminal, um exemplo de experiência muito bem conseguida: os juízes presidente das comarcas reportam diretamente ao Conselho Superior da Magistratura. Na gestão dos juízes não há estruturas intermédias.»

      O secretário de Estado pauta as suas convicções sobre o mundo judiciário pela sua perspetiva de juiz, desejando que tudo funcione dessa forma perfeita, sendo imperfeitas as que assim não forem criadas à imagem e semelhança dessa perfeição.

SecretarioEstadoAdjuntoEDaJustica=MarioBeloMorgado

      Fontes (por ordem de citação no artigo): “Observador”, “MBM-Facebook”,  “MBM-Twitter”, “Visão”, “Público”, “Inevitável” e “MBM-Facebook”.

por: GF
oficialdejustica.blogs.sapo.pt

Autoria e outros dados (tags, etc)

às 08:07


12 comentários

De Anónimo a 27.10.2021 às 09:04

Boy ao serviço de quem?

De Anónimo a 27.10.2021 às 09:34

Relevante, como registo de fim de carreira, só as "patuscadas" em Monsanto...

De Anónimo a 27.10.2021 às 13:02

Este Homem é um Senhor!!!

Que se mantenha por muitos e bons anos no lugar que ocupa!


De Anónimo a 27.10.2021 às 18:13

Este governo cai na melhor altura.

Estatuto por estatuto que as coisas fiquem como estão.

De Anónimo a 27.10.2021 às 18:41

Voilá. Para pior...mais vale não tocar !!

De Anónimo a 27.10.2021 às 18:51

Se isto já está mau como está, imaginem irem para o poder os liberais e a direita cujo discurso é sempre o mesmo, de defesa das empresas e dos empresários !!
Quem não é patrão não pode nem deve nunca votar nesta gente!!

E nunca votei ou votarei PS na minha vida, nunca!!

Estamos entre o leão e o crocodilo. E ambos nos querem fazer mal, muito mal.

Para muitos como eu, apenas tenho a dizer que estão dadas por findas as aspirações de subir de categoria e de salário ou de ter um fim de vida minimamente digno. ACABOU !!!

Não tenhamos ilusões. Já diziam os Xutos "A vida é sempre a perder..."

E nós somos os exemplos vivos disso.
Agora é procurar uma atividade paralela enquanto há alguma saúde.
Ouvi dizer que estão a recrutar caixas no Pingo.

De Anónimo a 27.10.2021 às 20:40

Há empresas de vigilância que valorizam o uso e porte de arma.



Não é muito, mas é um extrasito possível e muito reconfortante. (quase tanto como o vencimento em início de auxiliar).

De Anónimo a 27.10.2021 às 22:20

Admiro muito aqueles que trocam a carreira por outro serviço fora da função pública. O LIDL e outros pagam mais, mas os bazófias com este tipo de discurso, nem se aproximam, porque quando toca a trabalhar a sério...

De Anónimo a 27.10.2021 às 23:02

Havias de ver o que é bazófia quando te tocasse um interrogatório de três ou quatro dias sem praticamente ir a casa.
Além de que puxar pelo lombo, qualquer burro puxa, meu amigo. Problema é a exigência e a responsabilidade em tudo o que fazes.

De Anónimo a 28.10.2021 às 09:16

Bem dito! esse deve ser mais um a viver nos tribunais à custa de quem faz o serviço dele

De Anónimo a 27.10.2021 às 22:42

Catarina Martins hoje no debate parlamentar referiu a situação “caricata” da promessa de execução em 2022 de milhões de euros para equipar um hospital, o de Lisboa Oriental, que ainda nem sequer deu início à sua construção.

Contas certas?!...

Milhões de euros para equipar um hospital fantasma!...

De Anónimo a 27.10.2021 às 20:35

Oh Belo, vais de "bela"....

E já vais tarde.... adorava que voltasses aos tribunais!

Comentar Artigo



BandeiraPT oficialdejustica.blogs.sapo.pt
.................................................. INICIATIVAS COMPLEMENTARES:
..................................................
PERMUTAS para Oficiais de Justiça (Lista de Permutas)
Veja os pedidos existentes e envie os seus para o e-mail dedicado:
PermutasOJ@sapo.pt
Consulte a lista aqui

saiba+aqui
..................................................
Legislação e Publicações Relevantes - Lista com seleção diária de legislação e outras publicações relevantes em Diário da República e noutras fontes.
Consulte a lista aqui
saiba+aqui

..................................................
Subscrição por e-mail
Receba todos os dias o artigo do dia no seu e-mail. Peça para:
oficialdejustica.oj.portugal@gmail.com

saiba+aqui

..................................................
MEDIDAS e Sugestões de Proteção Prática para Oficiais de Justiça
Veja a compilação de sugestões recebidas até ao momento e envie o seu contributo para o e-mail:
OJ@sapo.pt
Consulte a lista aqui

..................................................
Lista de Alojamentos
Anúncios de Procura e de Oferta de alojamentos para Oficiais de Justiça. Contacte pelo e-mail dedicado:
ProcuraAlojamento@sapo.pt
Consulte a lista aqui

saiba+aqui
..................................................
Grupo WhatsApp para Oficiais de Justiça
A comunicação direta de, para e com todos.
Saiba+Aqui

..................................................
Lista de Anúncios para Partilha de Carro
Boleias e partilhas de lugares nos carros, sejam diárias, aos fins-de-semana, para férias ou ocasionais, anuncie a disponibilidade e contacte pelo e-mail dedicado:
PartilhaDeCarro@sapo.pt
Consulte a lista aqui

saiba+aqui
..................................................
Estatuto dos Oficiais de Justiça EOJ - Para assuntos relacionados com o Estatuto em apreciação use o e-mail dedicado:
Estatuto-EOJ@sapo.pt

veja+aqui
..................................................
Histórias de Oficiais de Justiça (Compilação)
Envie histórias, peripécias, sustos, etc. para o e-mail dedicado:
HistoriasDeOficiaisDeJustica@sapo.pt

saiba+aqui

..................................................
Acordos & Descontos para Todos - Lista de descontos para Oficiais de Justiça oferecidos por empresas privadas.
Consulte a lista aqui
saiba+aqui

..................................................

..................................................
Endereço Geral da página - Para assuntos diversos, use o endereço de e-mail geral:
OJ@Sapo.Pt

..................................................
Veja por aqui + informação sobre o Perfil / Autoria da página
+
Veja também por aqui o Estatuto Editorial e a Direção desta publicação
..................................................
Dúvidas sobre a Justiça?
Ligue para a Linha Justiça
(MJ) (chamada gratuita):
800 910 220
(das 9h às 19h nos dias úteis)
saiba+aqui e veja também o portal da Justiça em justiça.gov.pt
..................................................
Linha de Emergência Social:
Apoio da Segurança Social e do Ministério da Justiça:
144 (Linha Gratuita 24 h)
saiba+aqui
Linha da Segurança Social:
300 502 502 (das 09h às 18h)
..................................................
Outras Linhas de Apoio:
808 24 24 24 - SNS 24 / Saúde 24
(custo de chamada local)
800 209 899 - SOS Voz Amiga
(das 16h às 24h) (gratuita)
808 237 327 - Conversa Amiga
(das 15h às 22h) (gratuita)
239 484 020 - SOS Estudante
(das 20h à 1h)
222 080 707 - Telf. Esperança
(das 20h às 23h)
800 990 100 - SOS Pessoa Idosa
(das 10h às 17h) (gratuita)
..................................................

Meteorologia

Porto
Lisboa
Faro

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Outubro 2021

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D

Para Contactar:

Para mensagens breves pode usar a caixa de mensagens abaixo (mensagens instantâneas) ou usar o endereço geral de e-mail: oj@sapo.pt para mensagens maiores, com imagens ou anexos ou se quiser uma resposta.

Mensagens Instantâneas

Na caixa de mensagens abaixo pode enviar qualquer tipo de mensagem de forma simples e rápida. Basta escrever, carregar no botão "Enviar" e já está. Estas mensagens são anónimas, não são públicas nem são publicadas. Como as mensagens são anónimas se quiser resposta indique o seu e-mail.

Mensagens

Comentários

Pode comentar cada artigo e responder a comentários já existentes. Os comentários podem ser anónimos ou identificados e o conteúdo não é previamente (mas posteriormente) verificado.
Para comentar os artigos selecione "Comentar".
Os comentários são públicos. Para mensagens privadas use a caixa de mensagens ou o e-mail.
Os comentários ou respostas colocados pela administração da página surgem identificados como "oficialdejustica" e clicando no nome acede ao perfil da página. Não se identifique com nomes e de forma igual ou parecida com a referida designação.
Os comentários e as críticas não devem atingir pessoas mas apenas ideias. A discussão deve ser saudável, construtiva e digna. Serão eliminados os comentários que se julguem inadequados.

Comentários recentes

  • Anónimo

    https://observador.pt/2021/11/26/juizes-classifica...

  • Jota Man

    Está mal os gastos com remunerações dos oficiais d...

  • Anónimo

    É só fazer as contas! Um aumento da despesa em 202...

  • Anónimo

    PARABÉNS AOS AUTORES DESTA PÁGINA

  • Anónimo

    E ainda recebem cerca de 4 euros de subsidio de al...

  • Anónimo

    Quando começarem a contratar paquistaneses e india...

  • Anónimo

    saida as 17.00 h p......q......p........

  • Anónimo

    vivemos na escravatura encapotada e alimentada pel...

  • Anónimo

    ehheeh, triste comentário este!!! pois só não faz ...

  • Anónimo

    Desde quando é que envelhecimento é assim tão mau ...

  • Anónimo

    Ingressos na carreira?!.. Concursos publicos sem c...

  • Anónimo

    A Inês Sousa Irreal, do PAN, já veio dizer que con...

  • Anónimo

    Uma luta dura e longa se necessario com recurso à ...

  • Anónimo

    O primo de amigo meu que tem um tio que é amigo de...

  • Anónimo

    Pela forma jovial e risonha em que a Sra MInistra ...

  • Anónimo

    É só blá...blá...blá...blá.Despachar processos e q...

  • Anónimo

    Juízes e Procuradores deviam ter vergonha, que com...

  • Anónimo

    Tu dá-lhes !!Lol

  • Anónimo

    EHEHEH tem tudo a ver com a criação do universo

  • Anónimo

    O que é que este post tem a ver com o artigo?

  • Anónimo

    “O último degrau da sabedoria é a humildade”, infe...

  • Anónimo

    Tente lembrar o colega quantos entraram com Costa,...

  • Anónimo

    CHEGA mesmo!

  • Anónimo

    " tática terrorista" dos governantes que temos tid...

  • Anónimo

    oj´s não existem eheheh só para trabalhar quase de...




oficialdejustica.blogs.sapo.pt

Ligações

Ligações de INTERESSE:

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  •  
  • Ligações a LEGISLAÇÃO

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  • Em alguns casos, pode não ver todo o documento mas só a primeira página. Baixe o documento para o ver e ficar com ele na totalidade.

  •  
  • _______________________

  •  
  • Ligações a DOCUMENTOS

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  •  
  • Ligações dos TRIBUNAIS

  •  
  •  
  • ________________________

  •  
  •  
  • POR e PARA Oficiais de Justiça

  •  
  •  
  • ________________________


    Onde encontrar o Ofici@l de Justiç@?

    Os artigos aqui publicados são distribuídos por e-mail a quem os subscrever e são ainda publicados no Facebook, no Twitter, no "Blogs Portugal", no "Reddit" e no WhatsApp, ou seja, em 7 plataformas diferentes:

    1- Sapo (oficialdejustica)

    2- Facebook (OficiaisJustiçaPortugal)

    3- Twitter (OfJustica)

    4- Blogs Portugal

    5- Reddit (OficialJustica)

    6- WhatsApp

    7- Assinantes por "e-mail"





    Para além das outras possibilidades de comunicação, se pretender comunicar por e-mail, use o endereço abaixo indicado:

    OJ@SAPO.PT

    .......................................................................................................................